Uma vez estagiário, sempre estagiário.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

As 48 Leis do Poder - Décima Sexta Lei

Escrito por with 2 comentários
Minha equipe tinha pego o projeto mais complicado dentre todos os projetos. Eu era responsável por coordenar 15 pessoas além de manter todo o projeto em ordem, documentado e dentro do cronograma.

Logicamente, todos os encarregados ficavam me olhando com desdenho, pois não colocava a mão na massa, visto que, a coordenação do projeto tomava todo o tempo em que ficava na empresa e mais algumas horas em casa.

Foi em um dia que chamei a atenção de todos por conta de um erro que havia sido feito e comprometido totalmente o cronograma, que viraram para mim e disseram que eu não podia reclamar, já que eles faziam todo o trabalho e eu apenas ficava brincando de gerenciar todo mudo.

Naquele exato momento, levantei da minha cadeira, fui até o meu chefe e pedi para ele parte das minhas férias atrasadas. O suficiente para que eu pudesse me acalmar um pouco. O mesmo concordou e na minha ausência, ficou responsável por coordenar o projeto.

Quando voltei de férias, todos aqueles que estavam praguejando dizendo que eu não fazia nada, estavam exaltando de felicidade, pois o projeto além de ter dado errado, atrasado, e alguns funcionários terem sido mandados embora, devido a falta de comprometimento, o chefe não conseguia ouvir as reclamações dos funcionários.

É interessante como as pessoas só percebem o real valor do se serviço e da sua presença quando não mais a tem. Isso não somente em casos de relacionamento, mas como este caso, no serviço e em qualquer relação humana. Utilize o a sua ausência para mostrar o real valor do seu trabalho.

USE A AUSÊNCIA PARA AUMENTAR O RESPEITO E A HONRA.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

As 48 Leis do Poder - Décima Quinta Lei

Escrito por with 1 comentário
Marcelo bateu em minha porta. Achei estranho por conta da hora, mas abri mesmo assim. Antes que eu pudesse dizer algo, ele a empurrou e entrou apontando o dedo para mim, dizendo:

- Foi você que disse ao chefe que tinha roubado metade do estoque dele, não foi?

- Que história é essa, Marcelo?

- Você sabe muito bem! Eu estava tentando trocar o estoque pois os produtos estavam quase vencendo, e você foi lá para o chefe e disse que vendi para o concorrente. Fez tudo isso para que pudesse passar a perna em mim! Eu sei que o nosso santo não bate, mas isso já é demais!

- Escute Marcelo, sei que está bravo e não sei por que você está desconfiando de mim, mas pense um pouco. O que eu ganharia te tirando do seu cargo dessa maneira, e ainda sim, sabendo o que você estava fazendo?

- Não sei, diga você!

- Não fui eu. Foi o Diego e você sabe disso.

- Que maravilha! Apontando o dedo para a pessoa que disse que foi você! E em quem vou acreditar?

- Marcelo, acalme-se e veja os fatos. Se você cair, o chefe não confia cem porcento em mim, mas confia muito mais no Diego, ele que vê todas as mercadorias que entram e saem da empresa, porque ele cuida também da segurança. Não gosto de você e sempre disse isso, mas não tem o porque eu tentar acabar com você sendo que é um dos melhores profissionais da empresa. Veja, não tenho motivos para fazer isso, entretanto posso garantir que Diego sabia. Quer tirar a prova? Pergunte ao chefe, quem foi que falou, ou ainda para a secretária dele, quem foi lá falar com ele hoje.

Marcelo deu um passo para trás e ficou pensativo. O dedo ainda estava apontado para mim, mas não mais encostando em meu peito. Nunca gostei deste cara, sempre o coloquei na minha lista de inimigos, mas nunca faria uma coisa tão amadora como essa, muito pelo contrário, quando fui tentar ajudá-lo, não pude pois perdi o momento.

No dia seguinte, ele conversou com a secretária, que disse que Diego entrou no gabinete do chefe, e quando ambos saíram, o chefe estava possesso. Foi o necessário para ele saber que não tinha sido eu. Pediu desculpas, e agradeceu por ter tentando ajudar ele.

Daquele dia em diante, não tinha mais um inimigo dentro da empresa, mas sim, um grande companheiro. Já diria Abraham Lincoln, o melhor jeito de aniquilar um inimigo, é transformando-o em um amigo.

ANIQUILE TOTALMENTE O INIMIGO