Uma vez estagiário, sempre estagiário.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

As 48 Leis do Poder - Décima Lei

Escrito por with 2 comentários
Era a mulher mais linda daquela festa. Brilhava tanto que era impossível não parar o olhar quando os olhos encontravam seu corpo. Fui até ela pedi seu telefone e após um bate papo descontraído, iniciamos um excelente relacionamento que perdurou até agora.

Ela era como uma rosa de um vermelho brilhante no meio de um jardim florido, que chamaria a atenção de qualquer pessoa que passasse no jardim. Mas assim como todas as flores, ela começou a murchar.


Não sei o que foi, mas ela se tornou fria, amargurada, e infeliz. Parecia que nada a fazia sair daquele sentimento de depressão e angustia. Juro que tentei de tudo e fiquei ao seu lado pelo tempo que consegui, mas chegou um momento em que senti o peso da sua aura negra. Ela exalava sentimentos tão pesados e negativos que comecei a sentir isso em mim.


Acordava sem vontade de viver, sem motivos para trabalhar todos os dias, como eu era a alguns anos atrás. Percebi que a minha vida não ia pra frente e que ela realmente era a minha âncora.


Não queria, mas tive que enxergar e aceitar a realidade, de que ela tinha que ir. Disse a ela que estava tentando ajudá-la, que queria tirá-la daquele jeito, mas ela só dizia que era feliz àquele modo. Ela gostava de se sentir para baixo, e esbravejar as suas vitimizações, era algo que ela começou a ter prazer, assim como culpar a todos a sua volta por conta da vida difícil que levava, e das marés de azar que estava mergulhada até o pescoço.


Chegou ao ponto de olhar para mim e dizer:


- Eu vou sair andando, e espero que você venha atrás de mim caso queira ficar comigo, ou fique ai e me deixe ir, mas nunca mais volte a me ver, falar ou sequer olhar para mim.


Ela deu um passo, e eu, como num impulso coloquei todo o peso no pé direito a fim de levantar o outro e ir em direção a ela, mas foi então que lembrei que, apesar de amá-la, ainda amo minha vida de maneira positiva.


Vi ela se distanciando, sem olhar para trás. Lembrei do seu sorriso, que fazia meses que não via, e do seu olhar cheio de vida que se apagou com o nascimento da sua amargura. É, foi difícil vê-la partir, e tenho certeza que aquela lágrima que caiu era a mais salgada de todas. Mas eu não merecia aquela negatividade em minha vida, afinal necessitava evitar o contágio da sua infelicidade e da sua onda de azar.


CONTÁGIO: EVITE O INFELIZ E AZARADO.

2 comentários:

  1. Essa é uma das Leis mais importantes do Livro. Temos que nos afastar de pessoas negativas, azaradas, infelizes. Tenho presenciado muito isso (inclusive na blogosfera) e já to dando "unfollow". Na vida pessoal é o mesmo, quem é muito reclamão, pessimista, só acaba atraindo coisa ruim...

    Grande abraço, no aguardo das outras 38 leis.. hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Retirar as pessoas pessimistas é uma das melhores coisas que eu fiz na minha vida.
      A negatividade delas parece que grudam em você.

      Uta!

      Excluir