Uma vez estagiário, sempre estagiário.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Seja o seu próprio coveiro

Escrito por with 13 comentários
Existem exatamente três momentos nessa vida. O passado, o presente e o futuro.

O futuro é aquele momento em que ansiamos, aquele momento em que desejamos estar, quando o presente não é agradável. O presente por sua vez, é o momento em que vivemos, momento em que analisamos o que fizemos no momento passado, e que almejamos chegar no momento futuro. Já o passado, é aquele momento que nunca mais irá voltar, que ficará em nossas memórias, que já foi palpável um dia, mas que hoje, só nos resta a lembrança.

O que acontece é que, grande parte da população age da seguinte maneira:

Se nossa vida fosse um caminho e conforme o tempo passasse nós andaríamos por este caminho, as pessoas estariam olhando para o próprio pé, enxergando apenas o hoje, imaginando o caminho a sua frente, nunca olhando para ele, e se acorrentando ao caminho já trilhado, vulgo passado.

Irei comentar em outras postagens sobre o fato das pessoas olharem apenas para o hoje e imaginar o caminho a frente, ao invés de olhar para ele, mas hoje irei comentar sobre o fato de se acorrentarem ao passado.

O passado, assim como a história que nos é ensinada na escola serve apenas para dois propósitos. Nos mostrar os erros e acertos cometidos anteriormente, assim podemos evoluir como sociedade e como pessoas e para nos mostrar como chegamos onde chegamos.

Só isso, nada mais. Não tem como propósito mostrar quem somos, o que seremos, onde iremos, e qual será nosso fim, isso porque o passado é algo imutável, algo que não existe mais. Então, o que o passado pode nos fornecer é apenas informação, nada além disso. 

Porém, as pessoas utilizam do passado ou se apegam tanto a ele que não vivem, não conseguem continuar a caminhada. É como se um pássaro sempre quisesse levar com ele o ninho onde viveu. Por mais que ele consiga, a altura que ele chegará será sempre menor do que aqueles que não carregam.

Por este motivo quero deixar aqui uma dica para vocês:

Seja seu próprio coveiro, e enterre seu passado.


A Estagiário, mas você não entende o meu passado. Eu tive um passado duro, eu não tenho família, nasci pobre e etc, etc, etc...

Certo, e o que isso agrega de valor em você? Pense nisso. Pegue todas as coisas que você pode aprender com seu passado, o resto... Enterre e sete palmos do chão.

Somente depois que você deixar seu passado para trás é que você poderá alçar vôos mais altos. E quando digo deixar o passado para trás não é dizer adeus a parentes, amigos e começar uma vida nova, mas sim dizer adeus para as coisas e emoções que nos consomem dia após dia, como por exemplo:

Ódio, raiva, tristeza, amargor, dívidas antigas, promessas esquecidas, ex-amores, apegos antigos, pessoas que não te trazem coisas boas, pensamentos de vingança, e tudo mais que está no passado e você ainda carrega consigo.

É impressionante como carregamos fardos tão grandes durante muito tempo, e que deveríamos ter deixado para trás. Quando eu fiz isso, simplesmente me senti perdido. De verdade. Nunca tinha experimentado o sabor da liberdade do meu passado. Olhar para aquela pessoa que você odiava, cumprimentá-la, sem rancor, sem mágoas. Reatar aquela amizade que tanto queria, mas que seu ego não deixava. Dizer desculpas, eu te amo, sorrir todos os dias, mudar de vida. São coisas que só aprendi realmente depois que enterrei meu passado.

E quando digo enterrar passado não é enterrar hoje e continuar os próximos dias guardando mágoas novamente. É preciso enterrar o passado todos os dias, sem exceção. Colocar a cabeça no travesseiro, e naquele momento então, cavar mais uma sepultura para si mesmo, e deixar lá o seu eu, vivido naquele dia, afinal, todos os dias são momentos diferentes, conosco sendo mais experientes, logo, não somos mais os mesmos, somos novas pessoas, e devemos nos comportar como tal, deixando os problemas do passado, no passado.

Mas o que você fez para conseguir acabar com o seu passado? Uma coisa muito, mas muito simples. Sofri. E quando digo sofrer, não é coisinha pouca não. É coisa de ficar pra baixo, sentir como se tivesse perdido o chão. O sofrimento, como disse na postagem A Necessidade de Momentos Péssimos em Nossas Vidas, é algo que nos ajuda a mudar, porque quando estamos em um lugar onde não nos sentimos bem, nosso corpo tenta desesperadamente ou sair daquele ambiente, ou se afundar e fazer com que o sentimento seja algo natural.

Mas é lógico que você não precisa chegar a este ponto, por isso que estou dando esta dica a vocês. Não esperem vocês entrarem em alfa de tanta coisa ruim na sua vida para mudar. Mude agora, mesmo que seja um pouco, mas entenda que a inércia da vida é algo que acabará com você, e somente aqueles que saem pela tangente conseguem compreender que o motivo de se viver é muito mais do que apenas ficar sendo girado em círculos de positivismo e negativismo, mas estagnado no mesmo lugar sempre.

Uta!

13 comentários:

  1. Perdão e amor ao próximo ajudam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Anônimo,

      Ao esquecermos o passado por mais que não querermos, estamos perdoando as pessoas que nos fizeram mal.

      Uta!

      Excluir
  2. Belas Palavras,um resumo daria um poema impressionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BF,

      Infelizmente não sou muito bom de fazer poemas hahahaha..
      Uta!

      Excluir
  3. Uta, muito bom! Estou aqui refletindo :)
    Fique bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria,

      Reflita, mas não fique somente nisso... Coloque em prática e veja o que acontece... Prometo para você que seus dias ficarão melhores com isso :)

      Uta!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Sim, sim... Refletir por refletir não move o mundo :)

      Excluir
  4. Fala Estagiário


    Uma vez, eu estava em um cemitério, não lembro quem dos meus parentes fui visitar. E enquanto andava por lá tive uma epifania. Fiquei pensando sobre todos aqueles túmulos, as pessoas que estavam ali, quais delas conseguiram realizar os sonhos que tinham, quais não conseguiram, quais foram felizes e as que foram infelizes. Hoje toda vez que entro em um cemitério, fico pensando nisso. Assusta cara. E ai que começamos a perceber que certas coisas são bobagens.

    Pensar sobre isso me deixa mais leve.


    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Rover,

      Eu sempre fico pensando... Quando eu morrer, que sonhos irão morrer comigo? Digo, o que eu disse que iria fazer e não cumpri?
      Por isso que cada dia eu tento ir mais próximo a um dos meus objetivos, e se um dia que prometer algo para alguém, a promessa será cumprida.

      Uta!

      Excluir
  5. Olá , achei seu blog por acaso no google e realmente gostei muito do conteúdo. Pelo o que vi você trabalha no Canada com T.I , correto? Estou ainda no segundo semestre de Ciência da comp e gostaria de tirar algumas dúvidas com você se puder ajudar '-' ....agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo,

      http://oblogdoestagiario.blogspot.ca/p/teste.html
      O que tiver de dúvidas, coloque aqui e eu tento te responder o mais rápido possível.

      Uta!

      Excluir