Uma vez estagiário, sempre estagiário.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Cinderella Man e Homens de Brio

Escrito por with 24 comentários
Esta semana eu assisti um dos filmes mais emocionantes que já vi. Cindella Man (2005) com Russell Crowe é simplesmente um filme maravilhoso.

O filme conta a história de James J. Braddock, um boxeador que foi campeão de pesos pesados de 1935 a 1937. A história começa mostrando a vida do boxeador antes da quebra da bolsa em 1929 e depois o filme acompanha o andar da vida de Braddock nos períodos onde ele morava em um "apartamento" de um cômodo com sua mulher e seus três filhos.

Porém o que mais me comoveu no filme inteiro não foram os problemas que Braddock passou, mas como ele os enfrentou, colocando sua família como objetivo principal. Não se importando em trabalhar nem mesmo com uma das mãos quebradas, e deixando sua mulher cuidando dos seus filhos.

Podem me chamar de ultrapassado, mas acredito que hoje, o maior problema das novas gerações são que, os filhos não são criados pelos pais, mas sim por estranhos, afinal, já ficam nas creches depois dos seis meses, e depois de lá já entram nas escolas e de lá só saem depois da faculdade.

Ora Estagiário, estamos em tempos diferentes. Hoje, homens e mulheres devem trabalhar e as crianças devem ficar com os avós ou em creches para que ambos possam crescer profissionalmente.

Olha, do fundo do meu coração, se ambos pensam desta maneira, é melhor não terem filhos. Porque se alguém coloca como objetivo principal o sucesso profissional e não a família, então pra quer ter um filho? E digo isso, não querendo dizer que as mulheres devem largar seus empregos, afinal, se sua mulher ganha três vezes mais que você, largue o emprego você e vá cuidar dos filhos.

Ah, mas e se ambos ganharem aproximadamente a mesma coisa?

Dai temos duas saídas. Uma delas é diminuir as despesas e conseguir viver com um pouco menos de dinheiro, caso ambos ganhem uma quantia significativamente grande, ou sendo um homem de brio, você homem, trabalhará em quantos empregos forem necessários para garantir o sustento da casa, simples assim.

Hoje, não encontramos estes tipos de pessoas, apenas pessoas que querem algo profissional, e meia dúzia de sonhos que podem ser comprados com dinheiro. Não há o que dizer além disso, afinal, isso é fato!

O Corey escreveu um excelente texto sobre o que ele pensa sobre a família e a maturidade masculina. Eu encaro as coisas da maneira oposta. Acho que a falta da família no período de criação de valores é algo que realmente está acabando com as novas gerações... Homens procurando bocetas ao invés de mulheres, sexo ao invés de amor e trabalho ao invés de família. Sair de casa na minha opinião vem com a criação de valores, simples assim. Você sabe que não pode ficar sempre com seus pais, e que você terá que viver a sua própria vida.

Então eu deixo aqui meu pensamento para vocês... Se for ter um filho, entenda, que a sua prioridade deve ser sua família, ponto. Se seu trabalho for primordial, e você ou sua mulher não estiverem dispostos a largar o emprego para criar seus filhos como devem ser criados, então meu amigo, não tenha filhos. Pare de tentar encontrar o amor da sua vida nas festas e baladas. Você nunca encontrará. Tome vergonha na cara de conseguir conversar com as mulheres... Encontre uma mulher que você sabe que poderá chamar de "minha mulher", uma mulher que você confie, case/ajunte-se com ela, construa uma família se quiser, mas seja homem de brio, e coloque a felicidade da sua família em primeiro lugar, ao invés da sua. E por fim, entenda... Homem, com H maiúsculo, não trai, tem palavra e tem valores que não são discutíveis, moleque, tem preço.

Uta!

24 comentários:

  1. Rapaz, gostei da dica de filme, vou procurar para ver.

    Interessante o seu texto, estou passando por um momento difícil na empresa que está com faturamento baixo, e desta forma já tem alguns meses que não retiro nenhum tostão da empresa, neste momento então as despesas da casa, do casal e do filho são pagas com o salário da esposa. Não vejo nenhum problema nisto, mesmo porque quando a empresa está bem eu retiro mensalmente o dobro do salário dela. Tem homens que não lidaram bem com esta situação (a mulher bancando a casa) e tem outros que lidaram até bem demais ficando na zona de conforto enquanto a mulher trabalha.

    Engraçado que esta situação ruim da minha empresa aconteceu justamente no momento em que meu filho nasceu, mas isto não causou nenhum impacto na casa. ele tem os melhores médicos, nasceu em um dos melhores hospitais, tem tudo que precisa em temos de vestuário e alimentação e ainda comprei um carro novo para a sua segurança. Isto se deve a um rigoroso planejamento familiar que inclui corte de custos e poupança nos momentos de bonança.

    Algumas pessoas questionam como eu fico calmo estando meses sem receber um tostão. Aí eu falo para elas: sou empresário e empresário não recebe salário e sim dividendos. Se a empresa está bem o dono recebe bem, se está mal ele fica sem proventos. Mas elas continuam sem entender. Aí falo para elas que minha empresa me permite trabalhar de pijamas e chinelos todo dia, me permite ver meu filho de hora em hora, me permite ficar longe do caos do trânsito. Neste momento elas falam: "hum... aí a história é outra, até que vc não está tão mal, rs."

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já pensou se no futuro sua esposa quiser se separar e levar metade do seu dinheiro e ainda cobrar pensão para a criança?Sua empresa sobreviveria?

      É bom pensar em tudo. Muitos homens foram esfolados vivos na hora da divisão de bens. Hoje se arrependem amargamente de terem tido filhos e de terem casado com mulher pobre....

      A melhor coisa a fazer é juntar 20 M e só depois pensar em casar com separação de bens e ter um filho. Pois assim o homem corre menos riscos de ser sacaneado por uma espertinha.

      Excluir
    2. Grande Uó,

      É exatamente isso que eu tento dizer... Quando se tem uma família, não existe eu, ela e meus filhos, existe nós. Como o Corey mesmo disse, que agora, tudo é uma caixa de entrada só, assim ele consegue tomar conta melhor do dinheiro. Acho que quando você entende que a família está acima de tudo, a coisa muda pra melhor.

      Anônimo,
      Concordo que é bom pensar em tudo, mas sinceramente, esse negócio de ter um valor X e depois casar e ter filho, é baboseira, na minha opinião. Tudo é questão de princípios... Se você pensa assim, ganhar dinheiro é seu objetivo principal, as vezes, não é o objetivo principal das outras pessoas. Se você já pensa que vai se separar da sua mulher, então sinceramente, é melhor nem pensar em casar.

      Uta!

      Excluir
  2. Está aí uma das consequências bizarras do mundo moderno feminista. Pra mim você disse tudo, pra que ter filhos se você vai jogá-los na mão de terceiros? Criança de 6 meses na creche:???? Criança até pelo menos os 6 anos devia estar em família: pai, mãe, irmãos e primos no máximo. As mulheres estão largando suas vocações para mãe e dona de casa, e preocupando só com carreira. Isso é ridículo e contra a própria natureza delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais ridículo é o homem ter de dividir um patrimônio duramente conquistado com uma mulher que engordou e ficou toda feia por conta da maternidade.

      O certo é só casar com mulher rica, pois assim ela vai receber dinheiro da família para ajudar na construção da minha riqueza. Dessa forma permitirei que ela fique em casa na vida mansa enquanto eu trabalho para poder aumentar o patrimônio.

      Uma das coisas que podemos imaginar que é lícito pensar que os pobres no Brasil deveriam receber dinheiro para não ter filhos, algo parecido com o que a China faz. Haverá menos tragédias, menos presídios no futuro. Melhor que os pobres façam vasectomia.

      No mundo dos sonhos, a mulher deve ficar em casa cuidando dos pimpolhos, no mundo real, infelizmente elas vão ter de ajudar nos aportes e nas despesas da casa. As crianças sempre podem esperar. Porque quem gosta de miséria é retardado.

      Excluir
    2. Anônimo 8:07,

      Não jogo isso na mão somente das mulheres não, isso ai é problema dos homens também. Veja bem, as coisas devem ser divididas, se a mulher ficar em casa o homem tem que ganhar por ambos, e vice-versa. Não acho que o problema seja somente do mundo moderno das feministas, mas também dos homens que tratam suas mulheres como deveriam ou ainda que são pais ausentes.

      Anônimo 13:03,
      Sinto muito, não compartilho de absolutamente nada do que você disse. Na minha opinião você está totalmente errado da primeira a última sentença, como a discussão se tornará improdutiva, não acrescentarei mais nada a conversa.

      PS: Para ambos os anônimos, favor assinar com um nome, apelido ou qualquer coisa, fica mais fácil de poder citar.

      Excluir
  3. Sou servidor público federal e ganho 14 mil líquido/mês. Minha esposa ganhava 4 mil.
    Decidimos que ela largaria o emprego e passaria a cuidar de nossa filha e do nosso segundo/a que está por vir.
    Penso como vc. Família em primeiro lugar. "Conquistas materiais" são apenas futilidades impostas pela mídia consumista. Basta vc ignorá-las, que sua vida será muito melhor.
    A propósito, minha filha ama ter a mãe em casa com ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A família é muito importante, a maioria de nós teve uma, que foi responsável por nossa educação, formação, saúde etc. Ninguém pode contestar que a família exerce influência positiva sobre as crianças.

      Mas também é importante dar atenção devida ao patrimônio, pois este produz alegrias e proventos mensais, caso dos fiis. É com capital que viajamos ao exterior, é com dinheiro que frequentamos bons restaurantes, viajamos.

      Desse modo, antes de pensar em ter filhos, vale a pena ponderar bastante as vantagens e desvantagens.

      No meu caso, acho bacana ver meu dinheiro aumentar mês a mês e saber que posso contratar lazeres pagos, considero importante ficar perto da aposentadoria mais e mais. Assim é mais bonito admirar os filhos dos parentes, pois não gastam, não trazem dores de cabeça, se repetirem de ano, nunca será culpa minha.

      Excluir
    2. Anônimo 09:10,

      Exatamente. Você ganha uma boa quantia, então dá para sustentar a família somente com o seu salário. Se foi acertado entre você e sua mulher que ela iria largar o trabalho para cuidar dos filhos e que você iria trabalhar, então está tudo certo, ambos concordam, ambos ficam felizes com o resultado, e assim podem criar os filhos com os pais por perto.

      Anônimo 12:57,
      Tudo depende do que é seu objetivo principal, no seu caso, por exemplo, parece que o patrimônio é algo que você almeja mais do que uma família, então sua linha de pensamento esta correta. Agora, se voce quiser ter uma familia, entao sinto muito, mas este pensamento ira contra tudo o que uma familia representa.

      Uta!

      Excluir
  4. O dinheiro tem sua importância também, quem não tem hoje quer garantir para amanhã. Quer se proteger da pobreza e da miséria.

    Ainda existe o fato de que muitos casais não querem ter filhos, muitas mulheres não querem engordar nem querem ficar com os peitos caídos.

    Na nossa sociedade, só os ricos, aqueles com mais de 10 M em investimentos, sem contar a casa, podem ter filhos. Assim dá para viver com menos preocupação, pode contratar seguranças armados 24 h, pode comprar carros blindados para toda família.


    Para um pobre investidor com pouca grana para aportes, é impossível criar filhos com tranquilidade. Porque o dinheiro é bom e faz bem à saúde. dinheiro traz alegrias.

    Na situação de quem está aportando forte o melhor é uma vasectomia ou uma mulher esteril.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo,
      Primeiro voce tem que definir, o que eh mais importante pra voce, a familia ou patrimonio... Indiferente do que for, trace sua vida de acordo com o que escolheu para voce.

      Uta!

      Excluir
  5. Essa questão de ter uma esposa para chamar de "minha mulher" era importante antes da invenção do teste de DNA, pois o homem nunca tinham cem por cento de certeza que era o pai da criança. A tecnologia nos ajudou bastante nesse sentido.

    De outro lado, uma mulher tem valor quando colabora com a formação da carteira do casal. Ao trazer dinheiro para casa, os dois recebem mais proventos mensais por conta dos aportes maiores.

    Por óbvio, uma mulher pobrinha não vale muita coisa, pelo menos em termos financeiros. Pode ser boa companhia, bom sexo, mas não tem dinheiro, e, em geral, vem de família de pobres, os quais costumam ser bêbados sem estudo, sem futuro, sem nada de lucrativo. Existe o perigo de algum parente da mulher pedir dinheiro emprestado...Horror.

    Alguns casais vivem bem de um modo libertário. Isto é os dois podem sair e viajar à vontade, sem se preocupar com cobranças e ciúmes. Vide que São Paulo é a cidade mais rica da América Latina e possui, não por acaso, o maior número de casas de swing do Brasil. As pessoas das classes A e B querem continuar casadas, acumular mais dinheiro, sem deixar de ter algumas aventuras eventualmente. Dessa forma evitam gastos com separação, advogados, venda depreciada de imóvel, trauma da separação.

    Muitos garotos têm medo de mulheres promíscuas, mas é melhor ter uma safada rica que uma pobrinha virgem. Pois pobre só dá despesa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo,

      Nao compartilho desta sua opiniao, mas respeito-a.

      Uta!

      Excluir
  6. Esse tema é bem complexo. Pelo que vejo está gradualmente havendo uma deterioração da família tradicional. É cada vez mais comum vermos mães solteiras, casais divorciados, traições, promiscuidade, crianças sendo criadas por parentes ou babás etc.
    Eu penso que ter filhos não é pra qualquer um, muita gente tem filhos sem ter o mínimo de condição emocional, financeira e responsabilidade para tal, e pra mim esse é um dos pilares dos mais variados problemas sociais que o mundo enfrenta.
    Lógico que o lado financeiro e profissional é importante, mas é lamentável ver pessoas "contabilizando" despesas ou investimentos relacionado aos seus filhos ou futuros filhos se esquecendo que ter filho implica num conjunto de responsabilidades e sentimentos que vão muito além do lado financeiro.
    Se ao pensar em ter um filho você só vislumbra o lado financeiro, você não está preparado para ter filho.
    Outro ponto: Toda família se inicia quando há um interesse afetivo/sexual entre um casal, esse é o ponto de partida. Aquela mulher que nos interessa e retribui nosso interesse poderá vir a ser a mãe dos nossos filhos.
    Portanto a escolha de uma companheira é uma decisão muito importante, uma das mais importantes que podemos tomar, é fundamental procurar fazer a melhor escolha possível para evitar sofrimentos no futuro.

    ResponderExcluir
  7. Grande Estagiário!

    Seu último parágrafo deveria ser esfregado na cara da maioria das pessoas que conheço, está 100% certo.

    Não acho que pensamos de maneira oposta em relação a família... O que acontece é que grande parte da rapaziada se encosta nos pais por conveniência, não por amor, por isso tentei dar o toque lá no blog pra galera tomar vergonha na cara e buscar ter uma vida de verdade.

    Abração!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Corey,

      Sou eu que sou muito retrógrado ou isso ai tá uma zona mesmo? Pelo amor de deus, a quantidade de pessoas que juram amor e depois de 5 minutos já está traindo é impressionante.

      Sobre a família, me sinto com vergonha por no Brasil ainda morar com meus pais, mas apesar de não ajudar financeiramente eles, sempre ajudava nos deveres de casa, ou fazendo alguma coisa... Acho que isso é primordial, quando se tem uma certa idade. O problema e isso eu tenho ódio, é ver gente que mora com os pais, reclama que a cueca não está lavada, a comida não está pronta e a lâmpada do quarto está queimada, mas não levantam a porra da bunda pra fazer absolutamente nada.

      Uta!

      Excluir
    2. Retrógrado? Imagina eu que acho que toda criança deve ser criada full time pelos pais, que os avós não tem nada a ver com isso e que ao menos um dos pais devem permanecer 100% do tempo em casa cuidando e educando a cria? Engraçado que sou liberal pra um monte de coisa, mas isso me parece tão óbvio...

      Excluir
  8. Fala Estagiário


    Já vi esse filme umas duas ou três vezes. Realmente é muito bom. O nome do filme meio que afasta as pessoas (principalmente os homens) num primeiro momento. Mas vale a pena pela história de superação desse cara.


    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Rover,

      Adorei a história! Para falar a verdade eu gostaria de ter assistido ele antes, mas devido ao que você disse, o nome, eu deixei para depois, mas sinceramente não me arrependi.

      Uta!

      Excluir
  9. Estagiário,

    Não tenho como concordar mais!

    Várias vezes minha esposa quis voltar a trabalhar para ajudar nas contas de casa, e em todas eu disse que não. Meu filho só está na escola atualmente para ter contato com crianças da idade dele e socializar.

    Em casa, faço questão de passar um tempo conversando, ensinando, recentemente comecei a pensar em jogos que ajudassem a desenvolver algumas habilidades básicas (memória, formas, noção espacial, etc).

    Aqui no bairro onde trabalho, na zona sul do rio, vejo muito isso: babás passeando com crianças pequenas nas ruas e nos parques. A mãe, quando muito, busca na escola. Na boa, terceirizar a criação dos filhos não entra na minha cabeça! Depois tá lá, na porta da escola cara fumando maconha com os amigos como vejo também quase todo dia.

    Mais um ótimo texto seu!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IC,

      Falei isso várias vezes no meu Facebook, e todas as vezes que comentava, só o que recebia era patada, porque diziam, como você pode pensar deste jeito? Fazer sua mulher parar de trabalhar somente para poder cuidar dos filhos e tudo mais? Não disse que é ela quem vai cuidar dos filhos... Mas disse que um dos dois precisa, ponto.
      As pessoas estão começando a terceirizar coisas que não podem ser terceirizadas, e depois não querem que a criança respeite mais a babá do que os próprios pais.

      Uta!

      Excluir
  10. Hoje em dia as coisas estão tão absurdas que alguns casais da Classe Alta estão terceirizando até o sexo em nome do patrimônio. Muitas mulheres de políticos e de empresários contratam garotas de programa para manter o casamento. Pois se elas estão velhas, então querem minimizar a chance de uma separação e uma perda de dinheiro.

    A sociedade como um todo está mudando muito. O dinheiro sempre foi importante, mas não era tão celebrado. Agora ele é o Deus das classes A e B, pois tudo gira em torno dele.

    Com o tempo, parece que a tendência da sociedade é imitar esse modo de vida. Pois os pobres sempre imitam os ricos.

    As crianças das classes altas vão crescer em famílias com pouco amor, nenhuma fidelidade, mas terão segurança financeira pelo menos, boas escolas, bons hospitais, bons psicólogos. As crianças pobres ficarão perto de pais alcoolatras e mães malucas. Existe chance maior de as meninas se prostituírem e de os meninos virarem traficantes e /ou viciados. Os pobres quase sempre estão errados em quase tudo na vida.

    ResponderExcluir