Uma vez estagiário, sempre estagiário.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Estratégia simples de investimento para conservadores

Escrito por with 8 comentários
Antes de tudo, quero deixar claro que este tipo de investimento não é o mais rentável, e também não é uma garantia que você ficará milionário, mas trata-se de uma estratégia muito simples e que venho colocando em prática para a aposentadoria dos meus pais.

A estratégia que desenhei é muito simples e acredito que muitos blogueiros aqui a utilizam de certo modo. Ela também é muito conservadora, pois como foi desenhada para os meus pais que possuem mais de cinquenta anos, parti do princípio que ela deveria ter o mínimo de risco possível.

Por conta disso, acredito que ela pode ser feita por qualquer brasileiro que queira criar um pé de meia para a aposentadoria.

A estratégia tem dois períodos, sendo basicamente de:
  1. Acumulação de Capital
  2. Rendimentos Mensais
Os dois períodos são divididos para se obter uma simplicidade e também melhor retorno sobre o patrimônio.

Acumulação de Capital

Pela lógica, devemos criar um patrimônio ao longo do tempo para que possamos, no momento da nossa aposentadoria, colher os frutos deste capital acumulado. Para isso, devemos guardar um montante do valor recebido mensalmente. Considerando o gasto do brasileiro comum, acredito que os 10% comentados por muitos autores é um valor razoável.

Este valor deve ser retirado do salário no mesmo momento que o mesmo cai em sua conta, assim não terá como se utilizar este dinheiro para outros propósitos.

Vamos imaginar uma situação hipotética onde um brasileiro comum recebe um salário médio de R$1.166,84 (fonte), e irá guardar os 10% de seu salário por um período de 35 anos, o mesmo da aposentadoria pelo INSS. Também vamos partir do princípio que a inflação do período ficará em 6,41%, o mesmo valor da inflação de 2014 (fonte). 

Agora a grande pergunta... Onde investir este dinheiro? Podemos colocar em um LCI ou LCA, no tesouro direto ou ainda em debêntures, porém como havia dito, a estratégia é simples e assim continuará. Sendo assim, o dinheiro investido será aplicado em papéis do tesouro direto atrelados a SELIC.

Por quê?

Simples. A taxa SELIC é a taxa básica de juros, logo, o risco do papel passa a ser próximo de zero, já que qualquer flutuação da taxa básica influencia diretamente no valor de todos os ativos financeiros. Por conta disso, o valor será aplicado neste papel. Atualmente, o governo não está pagando nenhum prêmio pelo mesmo, logo a taxa é exatamente a SELIC, que atualmente está em 12,25% ao ano (fonte).

Logo, o valor retirado a inflação é de:

Taxa Real = ( 1 + Taxa Nominal ) / ( 1 + Taxa Inflação )

Taxa Real = 1,1225/1,0641

Taxa Real = 5,49% a.a.

Partindo-se do princípio que a pessoa iria investir todos os meses o valor total guardado, no final do período a mesma teria um patrimônio de: R$143.563,97. Este será o patrimônio base na qual o brasileiro irá se basear para receber os seus rendimentos mensais.

Rendimentos Mensais

Agora que o patrimônio está formado, o brasileiro poderá usufruir do mesmo em sua aposentadoria. Mas como ele poderá utilizar-se deste patrimônio de maneira conservadora? Simples. Investindo em Fundos de Investimento Imobiliário. Aqui é onde a simplicidade se torna um pouco mais complicada, visto que os investimentos deste ramo são variados e que ao contrário do acumulo de capital, a diversificação diminui o risco.

Para isso, vou utilizar como base um yeld anual de 10%, o que acredito que pode ser facilmente atingido com Fundos Imobiliários de tijolo, a melhor categoria dentro deste investimento, já que é o que possui menos riscos ao investidor.

Mas antes de mais nada, iremos retirar do valor do patrimônio acumulado as taxas que por ventura o mesmo terá que pagar, como emolumentos, corretagens e imposto de renda. Por isso, será retirado um total de 20% do valor final do patrimônio, ficando assim um montante de R$114.851,18.

Como os rendimentos serão de 10% ao ano ou 0,8% ao mês, o brasileiro que investiu 10% do seu salário durante um período de 35 anos terá mensalmente R$915,84, ou 78,49% do salário base. Partindo do princípio que ele terá além disso o valor referente ao INSS, está pessoa não terá grandes preocupações com dinheiro em sua velhice.

Como o investimento está em imóveis e os mesmos possuem a renda atrelada a índices de inflação, o mesmo não precisará ficar se preocupando em reinvestir nenhum valor após a sua aposentadoria.

Esta estratégia não fará do investidor um milionário, mas dará ao mesmo mais tranquilidade e autonomia quando o mesmo se aposentar, o que é o objetivo do estudo.

Infelizmente, os brasileiros não compreendem que estes simples passos podem dar a eles uma aposentadoria mais tranquila e ao mesmo tempo um conforto de saber que não precisarão de ajudas de familiares para se manterem.

O que acham sobre ela? Lembrem-se, o objetivo aqui é tentar ser o mais simples possível e ao mesmo tempo, conseguir um bom retorno para um investidor com uma mentalidade mais conservadora.

Uta!

8 comentários:

  1. Estagiário,

    não entendi: vc criou uma estratégia com período de acumulação de 35 anos para os seus pais que já passaram dos 50? Ou vc expôs a estratégia "genérica"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Casado,

      A estratégia é genérica. No caso dos meus pais, eles tem uma estratégia um pouco diferente devido a idade avançada deles.
      Uta!

      Excluir
  2. Eu gostei da ideia.
    Mas faz um pararelo com a possibilidade de já se investir aqueles 10% iniciais logo em FII. Oq acha? Seria interessante vc analisar e postar aqui. (Isso pq se sua intenção eh acumular para depois investir em fii, pq não ir diretamente para fii?) Talvez num próximo post.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mineiro,

      O problema de se investir logo em FII, é que você já está gerando renda ao invés de acumular capital primeiro. Outro ponto que tem que se levar em conta é que quando investido o valor em FIIs você automaticamente aumenta seu risco, já no caso do investimento em Tesouro Direto atrelada a SELIC, o seu risco, em tese é próximo de zero, já que ela está sendo atrelada ao indexador do mercado.

      Mas pode ser uma possibilidade de análise.

      Uta!

      Excluir
  3. Estratégia muito ruim. Concentrada em LFT na fase de acumulação e em FII na distribuição.
    Por seus cálculos mesmos você percebe que a NTNB-P está com um rendimento melhor...Sejam as longas ou as cutas.
    Não faz sentido nenhum investir em um juro real de 5,49% a.a se as NTNB estão pagando mais de 6%... Quem leva o título até o final não sofrerá eventuais efeitos de desvalorização do preço das NTNB no secundário...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Você está correto, os papéis atrelados a inflação pagam mais do que os papéis atrelados a SELIC, porém, você deve lembrar que o rendimento é apenas um fator a ser analisado. No caso analisado, não coloquei como prioridade investir em papéis que deem maior retorno, mas sim na segurança, já que o investimento é bem conservador. Quando se compra papéis atrelados a SELIC, o risco é quase zero, se comparado aos outros papéis.

      Uta!

      Excluir
  4. O raciocínio de seu texto é interessante. No entanto, a taxa real utilizada é muito alta. Não acredito que a taxa de juros permaneça nesse patamar, além de ser difícil conseguir 100% da SELIC no TD, visto que existe o IR e algumas taxas.
    Parabéns pelo seu Blog
    Abraços
    Fábio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio,

      Concordo com você. A taxa de juros pode vir a abaixar nos próximos anos, mas a análise foi feita baseada inteiramente nos valores que temos hoje, para simplesmente facilitarmos o entendimento da estratégia.

      Sobre o IR e taxas, já descontei eles no final, retirando 20% do valor total, como sendo todas as taxas de IR.

      Obrigado pelo elogio, sinta-se a vontade em voltar e comentar mais vezes. ;)

      Uta!

      Excluir