Uma vez estagiário, sempre estagiário.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

University Here I Go

Escrito por with 12 comentários
Dia 16 de Dezembro concluí um passo importante da minha estadia aqui no Canadá. Terminei o curso de seis meses de English as a Second Language, um inglês preparatório para entrar na Universidade.

Este curso é dado para pessoas que não conseguiram atingir a pontuação mínima no teste de proficiência obrigatória para poder assistir as aulas na faculdade. O governo brasileiro ajuda os estudantes pagando este curso preparatório, que por sinal não é barato, visto que a maioria das pessoas não possui o nível de compreensão necessário. Para quem não sabe, 90% dos estudantes que se inscrevem para o Ciência sem Fronteiras e que não são chamados são por ausência de proficiência na segunda língua (o mínimo requisitado para o meu edital no teste de proficiência TOEFL IBT foi de 61 pontos, metade mais um, no meu caso consegui 64 pontos, a maioria das pessoas não consegue chegar aos 61 pontos, por conta disso suas inscrições são canceladas). 

Para entrar diretamente na Univerisity of Ontario Institute of Technology, a faculdade que escolhi aqui no Canadá, você precisa obter ao menos 90 pontos no mesmo teste. Como não consegui a pontuação necessária, fui obrigado a fazer seis meses de inglês intensivo aqui no Canadá antes de começar as aulas na faculdade.

Concluído este passo, inicio outro que é o primeiro semestre na UOIT. Irei comentar em outra postagem do perrengue que passei para consegui me matricular nas matérias de outro curso, mas neste momento vou comentar sobre o que achei das aulas até o momento.

Primeiramente, estou cursando quatro matérias neste semestre. São elas: 
  1. Mídia Digital
  2. Lei e Ética em Tecnologia da Informação
  3. Web Service e Segurança de E-Business
  4. Aplicação de Computação em Negócios

Até o momento a segunda matéria é a que possui mais alunos na sala, totalizando algo próximo de 62 alunos. A matéria com menos alunos é a quarta matéria, com pouco mais de 10 alunos. Os professores são bem parecidos com os brasileiros, tem profissionalismo e você pode conversar com eles normalmente. Há um certo rumor que professores de Universidades ao redor do mundo são tratados como intocáveis, como se os alunos não pudessem ter uma conversa com eles. Tudo isso é mero mito.

Sobre o ritmo da aula. Extremamente mais puxada do que no Brasil. Primeiro que na primeira aula de Lei e Ética o professor comentou sobre os trabalhos em grupo, as tarefas e provas, além disso já partiu do pressuposto que já tínhamos lido os primeiros dois capítulos do livro e tocou a aula por ai. No caso do professor de Aplicação de Computação em Negócios a aula foi mais tranquila. Ele mostrou o cronograma e disse que os livros são opcionais, comentou sobre como ele saiu da Etiópia e se tornou um professor doutor aqui no Canadá e como serão os trabalhos. Detalhe, todos as matérias possuem trabalhos, tarefas e algum tipo de prova, que pode ser um trabalho mais elaborado ou o bom e velho teste.

Os alunos, assim como no Brasil, podem ser classificados de três categorias: Os que estudam, os que não prestam atenção, os que tentam prestar atenção mas não estudam, porém diferentemente do Brasil, eles estão espalhados na classe, não é como nas salas de aulas onde os que estudam estão nas primeiras três fileiras, os que tentam prestar atenção estão no meio e os que são da várzea ficam no fundo da classe. Acredito que seja por conta do tamanho da sala.

Esta primeira semana está sendo bem corrida. Já tive que reservar o livro na biblioteca (que por sinal não chega nem aos pés das universidades brasileiras, por conta da pequena quantidade de títulos diferentes) pois não estou a fim de gastar $112.00 só para comprar um único livro. Além disso, estou tentando fazer uma rotina de estudos diária, pois sem ela acredito que será difícil manter uma boa nota.

Uma coisa importante que percebi aqui no Canadá. Plágio é considerado uma ofensa grande. Se você copiar uma tarefa ou um trabalho de algum colega, você pode perder a cadeira da matéria ou ainda ser expulso da Faculdade. Isso significa que pouquíssimos tentam colar e todos levam muito a sério o curso. Poderíamos utilizar isso no Brasil, assim quem sabe teríamos pessoas mais honestas e que não colariam nas provas.

É isso ai pessoal... Se alguém quiser mais informações detalhadas sobre como é a faculdade, o curso ou as matérias, sintam-se a vontade de perguntar... Para que eu não esqueça, por favor, coloquem sua pergunta aqui na página de Sugestões do blog, assim não me esquecerei de fazer uma postagem sobre o assunto mencionado.

Uta!

12 comentários:

  1. Qual a sua avaliação sobre o curso de inglês?
    Parabéns pelo sucesso na jornada. Vai ficar mais quanto tempo? um ano?
    As coisas no Canadá são assim bem mais organizadas como o pessoal mostra nos vídeos? Você acha que qual seria a renda mínima para um casal com um filho pequeno viver no Canadá, considerando também o aluguel?
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AdP,

      O curso de inglês foi interessante... O problema dele é que tive uma professora muito, mas muito ruim. O bom do curso de inglês é que você tem brasileiros, árabes e chineses, e se você quiser conversar com o pessoal que não é brasileiro, vai ter que falar em inglês. Tive vários problemas com relação a esta professora, mas acredito que no geral é um bom curso, apesar das provas e matérias serem muito massantes.

      Ficarei mais um ano aqui, vou fazer dois semestres na universidade e mais um estágio no verão, quando não temos aula.

      Sim e não. O que é bem organizado aqui são as matérias... Você sabe o que o professor irá passar nas próximas aulas, o que ele espera que você saiba e o que você precisa fazer... Para pessoas que são auto-didatas ou pró-ativas, isso é excelente pois você já sai na frente de metade da sua classe.

      Um casal ganhando um salário mínimo canadense cada um consegue VIVER bem aqui, porém se você for esperto, conseguir empregos que paguem uns $60.000,00 anual aqui é muito fácil.

      Uta!

      Excluir
    2. Obrigado pelo feedback.
      Quando perguntei sobre organização, me referi nas coisas e serviços do dia a dia, não apenas a vida escolar.
      Sei que você está em Ontario, mas você tem alguma impressão sobre BC, mais especificamente Vancouver? Ouvi dizer que a faculdade de TI de BC é bem vista no país.
      Os vídeos do Youtube, desistiu?
      Nesta época neva muito. Como foi sua adaptação, supondo que deve ser a primeira vez que você passa por um inverno de verdade? Faça uma postagem para a gente que nunca viu uma neve.
      É verdade que o francês é mais falado apenas em Quebec?
      O povo aí é mesmo muito tolerante com os imigrantes?

      ABraços

      Excluir
    3. AdP,

      Eu sinceramente não tenho nenhuma impressão sobre BC, por conta de não conhecer ninguém que foi pra lá e de nunca ter visitado a província, desculpe. Sobre a faculdade de TI, posso dizer que a UOIT está se mostrando bem interessante, mesmo eu pegando matérias de outros cursos, a base aqui é bem forte.

      Os vídeos do youtube na verdade estou com o mesmo problema aqui do blog, quero fazer mas preciso de um tópico para falar... Não quero ficar no mesmo arroz e feijão que todo mundo fala sobre morar fora do Brasil, gostaria de mostrar coisas que não são faladas.

      Nevar na verdade não está nevando... Mas deixa eu te contar o que foi passar ontem pela sensação de -32ºC... Digamos que estava na rua, indo para o supermercado, e bateu um vento no meu rosto que embaçou o meu olho esquerdo e fez com que eu me cagasse de medo pensando que meu cristalino tinha congelado. Não, ele não congelou, mas abaixo de -10ºC com vento tudo fica a mesma coisa, o vento entra no osso, dói, é desconfortável e a única coisa que você quer fazer é ir para algum lugar quente.

      Sobre a província de Quebec... Sim, lá as pessoas não falam o inglês de primeira, eles falam o francês. Tanto que quando você entra nos lugares você houve o "Bonjour" ao invés de "Welcome". O único ponto bom de Quebec é que as mulheres de lá são muito, mas muito mais bonitas do que as de Ontario.

      Aqui no Canadá a maioria das pessoas são muito tolerantes a imigrantes... A maioria dos canadenses aqui possuem pais imigrantes, então eles acolhem bem a gente. O problema é que existem os boneheads, que são o pessoal que não gosta e não tem paciência para imigrantes, mas a maioria deles abre um sorriso quando você fala que é brasileiro. :)

      Uta!

      Excluir
    4. Seu óculos nem deu um pouco de proteção nesta hora, né? Se fosse comigo iria ficar desesperado também, kkkk.
      Você chegou a conhecer algum brazuka imigrante? Se sim, ele te incentivou a tentar a emigração?
      Pelo pouco que sei, você terá que ficar aqui no Brasil o dobro do tempo que passou no CA. Depois dessa sua experiência e após passado o tempo de permanência no Brasil, você pensa em tentar a migração?

      A sua universidade é daquelas univerCIDADES, ao estilo americano, onde há de tudo lá, como se fosse uma cidade? Ou neste aspecto é mais parecido com as brasileiras?

      Nestas suas saídas, chegou a visitar os EUA?

      Abraços

      Excluir
  2. Olá!

    Vc é um cara esperto e deve estar aproveitando essa oportunidade de fazer um curso intensivo de inglês no Canadá, assim como eu aproveitei meu ano nos EUA (CsF). Mas eu acho que o custo desses seis meses extras (fora o ano na faculdade) de curso de inglês é muito elevado, assim como o risco. Acho que os alunos deveriam fazer esse tipo de curso exclusivamente no Brasil. Qual sua opinião?

    Pelo que vc está descrevendo, as faculdades do Canadá são bem parecidas com as dos EUA. Muito trabalhinho, muito homework... Coisa que demanda tempo e dedicação, mas deixa o objetivo final (passar na matéria e aprender) muito mais f'ácil. Aqui no BR meu padrão de avaliação foi o clássico três provas por semestre (universidade federal), mas algumas matérias mudavam isso (davam trabalhos, exercícios, ou outra atividade avaliativa). Nos EUA as provas geralmente são bem parecidas com os exercícios e, raramente, o professor "puxa" mais na matéria. Muitas vezes os alunos são bolsistas e precisam manter o rendimento alto. Por isso os prof abrem as pernas: provas relativamente fáceis, normalização de notas, etc. Como é aí no Canadá?

    Sobre a questão do plágio, infelizmente a cultura brasileira não é nem um pouco rígida nesse assunto. Tive um caso de um prof que quase reprovou um aluno em uma matéria (dessas consideradas "desnecessárias" ou "pouco relevantes", tipo introdução à engenharia) porque ele fez um trabalho praticamente copiando da wikipedia e nem se deu o trabalho de citar a fonte. O professor divulgou o caso no facebook, falando que iria chamar o aluno pra conversar na sala dele e pedindo a opinião dos seus amigos sobre como tratar o caso. A opinião das pessoas foi divergente, sendo que alguns achavam que uma conversa resolveria o problema, outros que o aluno deveria refazer o trabalho, outros que ele deveria repetir a matéria, outros que ele deveria responder por processo administrativo na faculdade (já que plágio é crime). Essas foram opiniões de pessoas com nível superior (tanto em curso quanto já finalizado, e em grande maioria doutores). Não sei como ele resolveu o problema, mas esse caso deu o que falar :P

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José Henrique,

      Concordo com você neste ponto que é muito arriscado e com custo elevado, porém na minha opinião o que ajuda o curso de inglês é a imersão da gente no cultura. Se você tiver que ir para algum lugar você terá que falar inglês forçadamente. Se fosse no Brasil seria mais várzea devido ao fato de que as pessoas voltariam para casa e continuariam falando o português, pois não possui aplicação prática. Na minha opinião, o curso de inglês é caro, e poderia ser retirado para poder contemplar somente aqueles que possuem nível de inglês suficiente para entrar na faculdade, PORÉM, primeiro temos que criar oportunidades para as pessoas terem um nível de inglês bom. Aqui no Brasil o nível de inglês da maioria das pessoas é muito ruim, e por conta disso, muito poucos alunos iriam conseguir. Então, a minha opinião é, a partir do momento em que o número de alunos começar a crescer, deve-se pedir para que eles tenham o mínimo para entrar na faculdade, cortando o inglês, até lá ele é necessário.


      Totalmente de acordo com a primeira parte... Aqui tem muito trabalho e homework (aqui falamos que é assignment), e isso ajuda muito na hora de passar na matéria e com certeza ajuda muito mais para que possamos aprender. Mas não creio que isso seja feito para facilitar a gente a passar... Acho que isso é o que deve ser feito para que possamos aprender... Dar duas ou três provas como no Brasil é errado, pois limitamos a pessoa a apenas um dia para mostrar que ela é capaz... Aqui temos diversos meios de conseguir nota através destes trabalhos, porém, pelo que andei vendo, os trabalhos e assignments não são nada fáceis... São bem complicados e demandam tempo de estudo.

      Aqui ouvi de dois brasileiros que fizeram a mesma matéria que um dos alunos perdeu a carteira e o dinheiro que pagou por ela, porque ele pegou o trabalho de um aluno e mudou apenas algumas coisas... Como muitos fazem no Brasil. O professor mandou os trabalhos para o software de análise que pegou o plágio. Os dois alunos foram chamados na sala... O que deu o trabalho para o amigo recebeu zero no trabalho, e o que copiou perdeu a cadeira. Aqui na faculdade eles não brincam quando falam que plágio é coisa séria. :)

      Uta!

      Excluir
  3. Esse programa brasileiro é o verdadeiro Mochilão sem Fronteiras!
    Estaca, fico feliz de ver que você esta se esforçando e aproveitando. Mas a maioria é só passeio mesmo e putaria. Essa cultura maldita brasileira....

    Aguardo mais posts sobre as universidades canadenses. Se puder discorrer os tipos de cursos que tem aí (certificado, college, universidade, etc). Como eles são vistos pelo mercado. Se o nome da faculdade pesa... Eu tenho muito interesse em fugir pro Canada. Mas estou pensando em fazer um mestrado aí pra facilitar minha inserção no mercado de trabalho.

    Utah
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Migrante,

      Vou comentar um pouco sobre o que disse quando disseram pra mim a mesma coisa... que eu estava fazendo turismo sem fronteiras, quando postei fotos de Montreal, Quebec e Ottawa.
      Primeiro que eu e os meus amigos estavamos de férias do curso, segundo que fazia quase 2 meses que não saia da minha cidade pra nada, nem mesmo ir para uma festa ou para Toronto que fica a menos de uma hora de trem.

      Em uma das fotos que postei, um amigo meu disse "Posta foto que está saindo, mas não posta foto que tá estudando". Dou um x-salada para quem me mostrar que posta foto trabalhando ou estudando nas redes sociais. Ninguém posta... Bom, hoje eu posto... Para mostrar que estou ralando por aqui e não estou gastando dinheiro do governo em qualquer coisa.

      É lógico que tem o pessoal que não quer saber de estudar e que pega matérias que podem equivaler no Brasil ou ainda matérias que já fizeram pois sabem que será mais fácil para passar... Não é o meu caso. Todas as matérias que peguei foram matérias que não tenho ênfase no Brasil e que irão pesar muito quando for fazer o meu mestrado.

      Recomendo que se a sua ideia é fugir para o Canadá que não faça mestrado ai no Brasil. Venha com o que tiver de graduação, pois se é difícil pegar equivalência de graduação, imagine de mestrado. Vou comentar muito mais sobre a universidade assim que passar o tempo aqui.

      Uta!

      Excluir
    2. Tranquilo Estaca!
      Como disse, não me referi a você. Neste aspecto somente generalizei. Sei que temos alguns que realmente aproveitam e se destacam. Só acredito que deveria ter mais critério na seleção. Enfim... referente aos estudos, meu objetivo seria esse, fazer algum curso aí pra facilitar a inserção no mercado, justamente pq sei que existe uma certa "resistência".

      abs


      Excluir
  4. Foda. Você faz cagada no teste de proficiência e eu que tenho que te pagar um curso de seis meses de inglês? Pqp estuda essa porra direito ai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Antes de responder a essa pegunta, tenho uma outra...
      Por que você não estudou o suficiente para fazer intercâmbio?

      Uta!

      Excluir