Uma vez estagiário, sempre estagiário.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

O que a faculdade tem a oferecer

Escrito por with 5 comentários
Na postagem anterior comentei sobre as etapas que possivelmente todo mundo passa na faculdade. Agora vou comentar sobre o que a maioria das faculdades oferecem para os alunos e que sinceramente todos deveriam procurar saber.


Oportunidades de bolsas
Vamos imaginar que você não queira trabalhar enquanto estiver na faculdade para não atrapalhar os estudos, porém sente a necessidade de ter seu próprio dinheiro. Dependendo das suas notas, existem órgãos governamentais como a CNPQ que dão bolsas para alunos que fazem extensão, ou iniciação científica. A bolsa gira em aproximadamente R$400,00, porém o interessante disso é que você irá trabalhar com algo que realmente gosta e convenhamos, muita poucas horas.
Outras possibilidades são bolsas de monitoria que dai variam de faculdade para faculdade, contudo, normalmente falamos de 5 a 20 horas semanais para uma bolsa de R$400,00 a R$1.000,00.

Oportunidades de Extensão
Como disse anteriormente, grande parte das faculdades possuem programas de extensão, que podem ser com ou sem bolsas. Estes projetos de extensão contam muito na hora de uma seleção para um mestrado ou doutorado.
Dependendo da empresa que você irá trabalhar, pode contar também no seu currículo, o que gera um bom diferencial. Por exemplo, tenho um conhecido que teve a oportunidade de ir estagiar na Nokia devido a suas duas iniciações científicas.

Cursos, Oficinas e Palestras
Se tem uma coisa que vale a pena ir são em cursos, palestras e oficinas que sua faculdade oferece para a área do seu curso. Além de poder colocar no seu currículo e fazer um grande diferencial, você poderá conhecer novas tecnologias e segmentos do seu ramo onde quem sabe poderá encontrar algo que fique lhe chame a atenção e desperte seu interesse.

Oportunidades de intercâmbio
Está pensando em ir morar fora mas não sabe se você irá aguentar o clima ou a cultura do lugar? Que tal ir passar uma estadia de aproximadamente um ano neste país com tudo pago, além de ter a oportunidade de estudar novas matérias não disponíveis nas faculdades brasileiras? Pois é, existem milhares de programas de intercâmbio esperando por alunos que tenham este desejo, o mais conhecido deles é o Ciência Sem Fronteiras. Detalhe, não precisa ser o melhor aluno, os requisitos são muito fáceis de conseguir. Uma pessoa com histórico sujo, com notas medianas e média fluência na língua consegue facilmente passar por todos os pré-requisitos.

Networking
Já ouviu falar sobre quem tem mais QI ganha? (QI = Quem Indica) Pois é, imagina agora você com quatro cartas de professores dizendo o quão bom aluno você é, além de dicas sobre bons mestrados e/ou doutorados, ou ainda dicas valiosíssimas para seu negócio que está pensando em montar. Se tem uma coisa que aprendi é que os professores são uma excelente fonte de informação gratuita. Converse com seus professores sobre os projetos que está pensando em fazer, muitas vezes poderá ganhar uma consultoria de graça, que muitos pagam uma fortuna para ter. Outro ponto importante que vale frisar é que, existem muitos alunos também que se juntam para iniciar um negócio, basta ter contato com as pessoas certas.

Acredito que estes pontos são os mais importantes e que realmente vejo pessoas que entram e saem da faculdade fazendo apenas o básico. Espero que esta postagem mude a visão dos atuais alunos.

Uta!

terça-feira, 29 de abril de 2014

O que se esperar na faculdade

Escrito por with 3 comentários
Vamos lá, você estudou bastante para conseguir entrar em uma faculdade pública ou trabalhou muito para conseguir entrar em uma boa universidade particular, dai consegue passar na prova e suas aulas começam... Mas e ai? O que esperar da sua faculdade?

Basicamente a sua vida na universidade se divide em alguns estágios, não se preocupe, irei explicar para vocês todos eles.

1. Putaria
A primeira fase, é a melhor de todas. Como o nome já diz, o negócio aqui é ligar o foda-se e curtir a vida. Bebida, mulheres, festas, cigarros, drogas... Enfim, aqui temos a iniciação da pessoa no mundo de gente grande. O objetivo principal é se divertir e pronto. Faculdade? Provas? Trabalhos? Isso ai é só quando as festas de república terminarem, o que nunca acontece. Este período demora mais ou menos entre um a dois semestres.

2. Ressaca
Após a primeira fase, chegamos a fase da ressaca. Por conta do desleixo do primeiro ano, irá ficar de DP algumas matérias e isso atrasará seu curso. Além disso, nas matérias que conseguiu passar terá feito meia boca e agora, que os professores partem do princípio que já se sabe aquele conteúdo, você diz a si mesmo "Nunca mais irei em outra festa da faculdade". Essa fase normalmente é entre o segundo e o terceiro ano.

3. Negação
Com o atraso do seu curso e com seus amigos quase se formando, você começa a se perguntar se realmente este é o curso que gostaria de fazer. Começa a pensar em largar tudo e trabalhar ou ainda começar outro curso de engenharia de alguma coisa (se o seu curso já for de engenharia, pensará em qualquer coisa que não seja uma engenharia). Este período normalmente acontece exatamente no meio do seu curso, normalmente no primeiro semestre do terceiro ano. É onde você percebe que deveria ter se dedicado mais e terá que correr contra o tempo para conseguir se recuperar.

4. Euforia
Aqui é onde as matérias começam a chamar mais sua atenção e onde você irá se dedicar mil porcento a mais. Sua média começa a aumentar e as primeiras notas acima de 7 começam a aparecer. É onde você irá procurar algum professor para tentar te ajudar com uma iniciação científica ou algo do tipo. Esta fase ocorrerá no segundo semestre do terceiro ano e poderá se estender até o penúltimo semestre do curso.

5. Depressão
Depois da euforia temos o último período, da depressão, onde estará no último ano da sua faculdade e perceberá que seus amigos nerds já se formaram ou estão viajando para outros países com bolsas de quase dois mil reais por mês por conta das boas notas. Você se sente um trouxa porque não aproveitou as oportunidades e irá tentar terminar a faculdade o mais rápido possível para começar a trabalhar o mais rápido possível. A vontade de fazer coisas extracurriculares se evapora, e assim você leva a faculdade até o final. Conseguirá uma nota mediana e irá iniciar no mercado de trabalho.

Isso é o que acontece normalmente com a maioria das pessoas. Pode ser que algumas não tenham uma ou outra etapa, mas normalmente a faculdade funciona assim. O que você precisa aprender é gerenciar o seu tempo e não se ferrar já nos primeiros semestres, assim como eu fiz.

Você deve estipular limites e objetivos para sua faculdade. Por exemplo, quero terminar a faculdade o mais rápido possível para começar a trabalhar, ou quero fazer tudo o que puder para que consiga ter um bom currículo a fim de fazer um mestrado e doutorado. Quanto mais rápido conseguir definir essas metas, melhor, pois irá aproveitar muito mais a sua faculdade.

Na próxima postagem irei comentar sobre o que podemos tirar de proveito das faculdades.

Uta!

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Aprendizado dos 20 anos

Escrito por with 8 comentários
Nesta semana de páscoa, encontrei um familiar de longa data que não via fazia alguns anos. Ele tinha ido para o Japão para trabalhar e estudar e havia acabado de voltar para o Brasil.

Quando saiu do Brasil, ele tinha por volta de vinte anos e voltou após de dez anos nas terras dos nihonjins. A conversa que tivemos foi longa e rendeu algumas dicas sobre o que aprendeu com seus vinte anos de idade.

Aprendizado é um estado de espírito

Em sua estadia no Japão, o meu primo de segundo grau trabalhou e estudou em uma universidade. O trabalho pagava a mensalidade e a moradia que a universidade dava para ele. Ele me contou como tratava a faculdade:
Sabe quando você entra na faculdade e não quer aprender nada? Dai você passa o meio e o final dela só pensando em sair dela? Então, era assim que eu me sentia. Não estava nem ai para o aprendizado, queria sair logo com um diploma para o mercado de trabalho. Aprendi da pior maneira que o que fiz foi errado, mas a tempo o suficiente para entender que sempre temos algo importante a aprender.
Tenho que admitir que também pensava assim até o meio do ano passado. Queria terminar o quanto antes a faculdade para entrar com tudo no mercado de trabalho, não somente sendo um estagiário, mas um empregado de carteira assinada.

O problema é que quando você não quer estudar, todo o conhecimento que está sendo passado não será absorvido. Isso sim é uma perda de tempo. Por isso que temos que estar abertos a aprender novas coisas, pois podemos aplicar esta nova informação em nossa vida. Outro ponto interessante é que depois que tive esse insight, todas as aulas começaram a fazer mais sentido e podia compreender como utilizaria aquelas informações no meu cotidiano.

Planeje, mas seja flexível
Meu plano era, ir para o Japão, estudar arrumar um bom emprego, juntar dinheiro e voltar para o Brasil, casar e ter uma família. O problema é que eu gostei de lá, arrumei uma mulher e agora os meus planos não incluem a volta para o Brasil.
Fazer as coisas no impulso e sem planejamento, podem trazer sérios riscos ao seu futuro, como iniciar uma faculdade só para conseguir um diploma. Se você fizer isso, possivelmente irá perder quatro anos da sua vida estudando algo que não gosta e dependendo de como for, poderá trabalhar em um setor que detesta devido a escolha da universidade.

Gosto de comparar um planejamento da vida como uma travessia de uma floresta. Você pega o mapa, traça uma linha reta do ponto A ao ponto B onde no meio temos uma mata inexplorada. Nós começamos a caminhada nessa linha, mas no meio da travessia nós encontramos uma montanha, então nós traçamos um novo caminho para o ponto B. Depois encontramos um rio, então, novamente mudamos a rota novamente.

É assim que temos que conduzir nossa vida. Nós criamos um plano de onde queremos estar daqui a dez anos, e fazemos de tudo para chegar lá, mesmo que necessitemos mudar um pouco o caminho as vezes.

No Pain, No Gain
Ao entrar na faculdade, todos os finais de semana, saia para beber. Minha vida resumia a beber, fumar, comer porcariada e ficar de perna pra cima quando podia. Nem preciso dizer que engordei como um porco.
Acredito que isso aconteça com qualquer um. Quando entramos na maioridade queremos fazer tudo o mais rápido e o mais intenso possível. Esquecemos que muitas vezes isso irá nos causar problemas no futuro.

Comigo foi a mesma coisa, saia todos os dias, bebia, comia como um touro, só não fumava. O resultado? Oito quilos a mais e uma resistência física péssima. Comecei a frequentar a academia aqui perto de casa faz alguns meses, após ficar parado quase um ano. Apesar de muitos falarem que é perda de dinheiro, prefiro gastar com academia do que com remédios.

Ah, mais uma coisa. O problema não é comer carne com gordura, ou panceta, ou fritura, ou comida salgada, ou muito doce... O problema é ficar com a bunda quadrada de tanto não fazer nada. Quando se faz exercício físico, comer tudo isso moderadamente não tem problema.

Apesar de já ter mudado de pensamento vou melhorar estes pontos comentados, pois acredito que estes erros podem ser sanados com força de vontade e espírito de mudança.

E vocês? Concordam com o que foi escrito acima, ou eram diferentes com seus vinte e poucos anos?

Uta!

terça-feira, 22 de abril de 2014

Algumas dicas financeiras para os jovens

Escrito por with 7 comentários
A história que será contada a seguir, mostra uma conversa entre o neto de vinte anos e seu avô rico.

Estava lendo as notícias do jornal e tomando meu café da tarde na varanda de casa. Meu neto, estava assistindo televisão enquanto minha filha e genro estavam ajudando minha mulher na cozinha.

John, meu neto, desligou a televisão e sentou-se do meu lado. Ficou uns três minutos olhando para o nada. Sabia que ele estava querendo conversar, mas esperei até tomar a iniciativa, e foi bem direta, tenho que admitir.

- Sabe, eu fico me perguntando avô, como o senhor conseguiu juntar tanto dinheiro, em tão pouco tempo...
- E quem disse que foi em pouco tempo, seu cabeça de bagre?
- Ué, o senhor não começou a juntar dinheiro depois que meu pai nasceu?
- Hahahahahaahaha! - dobrei o jornal, pois sabia que aquela seria uma longa conversa -, meu querido neto... Na sua idade eu já poupava dinheiro do jeito que dava.
- Hã? Mas só tenho vinte anos... O senhor começou a juntar dinheiro com vinte anos?
- Mais ou menos... Quer dizer, eu tentava não gastar, e com o dinheiro que eu guardava eu juntava na minha conta.
- Mas como o senhor fazia isso?
- Com algumas coisas simples.
- Mas que coisas avô, conte-me.
- Ok, ok, ok... Vamos lá...

Aprenda a cozinhar
No meu tempo, cozinhar era somente para as mulheres... Hoje em dia as coisas mudaram, mas ainda sim os homens não sabem cozinhar. Quando você faz sua própria comida, além de ser mais saudável, gasta-se menos... Sem contar que as mulheres amam um homem que saiba cozinhar e não apenas colocar uma comida pronta no micro-ondas.

Guarde para sua aposentadoria agora
Quando eu tinha quinze anos já trabalhava como estoquista em uma loja de conveniência perto da minha casa. Com dezoito já tinha algo em torno de vinte mil reais, porém, como era cabeça de bagre, gastei todo o meu dinheiro, não guardei nenhum centavo. Se eu tivesse guardado apenas mil reais, eu teria R$11.737,08 com cinquenta anos, assumindo uma taxa anual de 8%.

Compre um carro confiável, não chamativo
Você jovens de hoje em dia gostam de carros esportivos, com toda aquela baianagem que colocam no carro. Sabe o que foi meu primeiro carro? Um carro de quinze anos que meu tio me deu de presente. Logicamente, que aquele carro não era confiável, por isso fiz a revisão completa e gastei quase metade do valor do carro para deixá-lo redondinho, mas me serviu durante bastante tempo. Só depois que fui mudando de veículo e comprando carros mais novos. Adquira um carro confiável primeiro, depois compre os chamativos.

Organize a entrada e saída de dinheiro
Quando tinha vinte anos, decidi tomar as rédias do meu dinheiro. Comprei um caderninho e ia anotando o que entrava de dinheiro e o que saia. Andava com ele por todos os lugares. Quando comprava um presente para sua avó anotava, quando ia comer em algum restaurante anotava, até mesmo quando comprava o jornal. Dessa maneira, sabia exatamente todos os meus gastos e podia controlar o dinheiro da melhor maneira possível.

Viva com seus pais o maior tempo possível
Ok, sei que essa dica é difícil, ainda mais para um jovem como você. Ter sua própria casa, ou ainda, morar com os amigos é muito bom, porém gera gastos, que poderiam ser cortados facilmente. Imagine o quanto você irá gastar com água, luz, telefone, aluguel, gasolina, e tudo mais só para poder ter um pouco de privacidade. Fique o máximo que conseguir lá, assim irá poupar mais.

Saiba o que quer da vida antes de entrar na faculdade
Imagine você entrando em na faculdade dos seus sonhos, e no final do curso descobre que não é aquilo que você quer. Pronto, gastou quase meia década a toa, isso se for uma faculdade pública, se for particular então, além do tempo foram-se milhares de reais. É melhor ficar sem uma faculdade por alguns anos até descobrir o que realmente quer, do que entrar na primeira que ver pela frente e descobrir no meio dela, que não gosta daquilo. Tenha calma e escolha conscientemente.

Não se apresse em se casar
Sua avó e eu casamos depois de quase dez anos de namoro. Casar antes de conhecer a pessoa pode resultar em divórcios. E nós sabemos que todos os divórcios são custosos não somente monetariamente falando, mas também psicologicamente. Por isso, escolha bem a sua companheira e case apenas quando achar que estiver preparado.

Alugue uma casa antes de comprar
Você é jovem, para que se comprometer em adquirir uma casa agora? Imagine se aparece uma oportunidade de emprego em outro estado ou até mesmo em outro país? Primeiro alugue uma casa, e só depois de que sua estiver mais estabilizada, ai sim compre uma, de preferência construa, assim além de ser uma casa do seu jeito, ela sairá mais barata.

Dê um tempo antes de ter um filho
Curta a vida de recém casado por alguns anos, faça tudo o que você quiser fazer e depois pense em ter filhos. Sendo curto e grosso, filhos, apesar de valerem cada centavo, são muito, mas muito caros. Um filho muito cedo pode por tudo o que juntou em risco, quando não estiver preparado. Além do mais, não estou querendo ser bisavô, pelo menos ainda não.

- Mas vovô, o senhor pensou em tudo isso antes mesmo de fazer?
- Sim, o problema é que muitas dessas coisas aprendi na cabeçada. Quando você faz algo de errado, a vida tenta te avisar de maneira bem calma, como por exemplo um soco no rosto e um chute no peito. Ouça o que seu avô disse, e tenho certeza que você galgará os degraus com mais firmeza do que eu. Agora vamos entrar, acho que sua avó preparou aquele guisado que ensinei a ela.

Se a história não foi muito boa, desculpem, ela foi de minha autoria, mas queria deixar a postagem menos massante :)

Uta!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

19 Coisas que seu vizinho milionário não fala para você

Escrito por with 3 comentários
Novamente estou escrevendo este texto devido a alguns artigos que li na internet. Recomendo de coração a leitura de blogs, assim como este, só que em inglês. Nos Estados Unidos e no Canadá, a ideia de compartilhar informações através de blogs é muito difundida, sendo assim temos uma grande quantidade de postagens interessantes além de muitas informações que ainda não são comentadas na blogosfera brasileira.

Todos nós sabemos que muitas pessoas possuem contas bancárias com sete dígitos e não aparentam ter esta quantidade de patrimônio. O que poucos sabem é que um destes milionários pode ser seu vizinho, mas ele não conta nada pois que passar despercebido. Eis 19 coisas que seu vizinho milionário sabe mas não comenta com você:

1. Ele gastam menos do que ganham
Na verdade isso é um estilo de vida. Ele preferem gastar menos do que ganha e ser anônimo do que ser receptivo e pobre.

2. Sabe que paciência é uma virtude
Com certeza seu vizinho não ficou milionário da noite para o dia. Ele guardou o dinheiro aos poucos, investindo cada centavo, pois sabia que depois de algumas décadas o esforço valeria a pena. Também sabe que dinheiro fácil é como goiaba madura na beira da estrada, ou tá bichada ou tem marimbondo no pé.

3. São frugais e econômicos
Sabe quando seu carro novo, recém saído da concessionária vai para a revisão, por conta de um pequeno barulho na roda traseira e você pede uma carona para seu vizinho, que tem um carro de dez anos mas que é econômico? Pois bem, isso demonstra a diferença entre as pessoas normais e as frugais e econômicas.

4. Seu vizinho quita o cartão de crédito todo final do mês
Você pensa que seu vizinho é igual aos outros, que utiliza o cartão quando não tem dinheiro, assim como você, porém o que ele esconde é que, ao invés de pagar no dinheiro, ele prefere usar o cartão de crédito para ganhar milhas e viajar de maneira mais barata. Lógico que a conta bancária dele possui o dinheiro necessário para comprar aquele produto, afinal, ele sabe que se não tem dinheiro para comprar, então não vai comprar.

5. Ele sabe que dinheiro não trás felicidade
Todos pensam que com um milhão de reais na conta, a pessoa é feliz. Na verdade ela não é feliz por conta disso, mas pelo simples motivo de ter mais liberdade, de não precisar se preocupar com as contas no final do mês. O dinheiro não trás felicidade, a liberdade sim.

6. Para ele, independência financeira é um estado de espírito
A independência financeira se dá quando você fica livre das suas dívidas, quando você não precisa mais se preocupar com suas contas. Isso faz com que as pessoas entrem em um estado de espírito mais elevado, pois não possuem stress para pagar contas. E o melhor, seu vizinho sabe que a independência financeira, pode ser alcançada com qualquer nível de renda.

7. O segundo emprego é sempre bem-vindo
Com um segundo emprego, além da sua conta bancária crescer mais rápido, faz com que você fique ocupado, e uma pessoa ocupada tem menos tempo para gastar o dinheiro.

8. Dinheiro é como uma criança
O que acontece com uma criança, quando os pais não a supervisionam? Ela consegue virar a casa de pernas para o ar, dando assim trabalho extra aos pais, além do stress e raiva que irão passar. O dinheiro é assim também, precisa de gerenciamento e controle.

9. Primeiro ele paga a si mesmo
É a primeira lei das finanças pessoais, primeiro pague a si mesmo. Fazendo isso, você consegue ter um melhor manejo em suas economias além de ter a certeza que não irá gastar todo o seu dinheiro.

10. Seu vizinho trabalha naquilo que gosta
Sabe quando você escolheu aquele emprego que te paga mais, mas que o tempo não passa, parece que o relógio fica parado sempre no mesmo lugar? Pois é, o seu vizinho não sabe o que é isso. Ele trabalha naquilo que gosta, mesmo que o pagamento seja um pouco menor. A vida é muito curta para se gastar fazendo aquilo que não gosta.

11. É necessário planejamento
Assim como viajar, casar e ter filhos é necessário um planejamento prévio, ser milionário também é necessário um bom planejamento. Sem um plano definido, facilmente o dinheiro pode sumir ou ainda pode nem mesmo chegar até você.

12. Ele pensa grande
Quando seu vizinho estava planejando se tornar milionário, ele não pensou pequeno, sabia que tinha que pensar grande para que forçasse a conseguir algo melhor, de maneira que pudesse evoluir, saindo a zona de conforto.

13. Trabalho duro para cobrir os erros financeiros
Quando seu vizinho cometeu alguns erros financeiros, vai por mim, foram vários, para suprir cada erro, ele trabalhou mais e mais. Não existe dinheiro fácil, por isso o trabalho duro tem que ser feito.

14. Ele conhece as Leis de Murphy
O milionário que mora do seu lado sabe que problemas acontecem e que você precisa estar preparado para eles. Uma doença ou a morte do ganha-pão da família pode rapidamente jogar tudo para o alto. É preciso sempre viver no presente, mas pensar no futuro.

15. Conhece o poder dos juros compostos
Ele sabe que uma das coisas mais preciosas nos juros compostos é o tempo, por isso ele começou a poupar dinheiro desde os vinte anos de idade. Quanto mais cedo iniciar, mais poderá se beneficiar dos juros sobre juros.

16. Aumento salarial significa aumento do valor poupado
Quando há um aumento do salário, o milionário sabe que deve aumentar no mesmo nível o dinheiro poupado, pois assim, ele evita de gastar com coisas desnecessárias.

17. Ele não trabalha para pagar as contas
O seu vizinho não possui um trabalho para pagar as contas porque elas já foram pagas antes mesmo do salário cair na conta. Ele trabalha porque ele gosta daquele serviço, e sabe que não é interessante ficar ocioso em casa.

18. Seu vizinho tem o que serve para ele
Ele olha sua casa de quatro quartos, três suítes e os dois carros novos que estão na garagem, tudo isso para você e sua mulher. Ele olha para a casa dele que possui dois quartos e um banheiro, e o carro de uma década e a moto antiga mas que já estão todos pagos, ao contrário dos seus bens.

19. Tudo o que ele faz, é sem alarde
Se lembra daquela furadeira que você emprestou para ele a dois meses atrás e agora quer de volta? Pois bem, ele quebrou mas comprou uma nova para você, afinal, ele pode pagar.


Uta!

domingo, 20 de abril de 2014

Inflação, a corrosão do seu patrimônio

Escrito por with 10 comentários
Me lembro de quando tinha meus seis/sete anos, quando ia na mercearia perto de casa, com uma nota de cinco reais, e saia de lá, com uma Coca-Cola de dois litros, cinco pães, algumas fatias de mortadela, e dez Babbaloos. Hoje, não consigo comprar nem dois litros do mesmo refrigerante com uma nota do mesmo valor. Isso se dá a uma coisa chamada inflação.

De acordo com o Wikicionário, inflação significa:
[...] desequilíbrio econômico caracterizado pelo crescimento anormal dos meios de pagamento em relação às necessidades de consumo, com a consequente redução do poder aquisitivo da moeda e alta geral dos preços.
Em outras palavras, é o aumento do preço de todos os produtos e serviços, criando assim uma desvalorização do dinheiro. Na prática, isso significa que cem reais hoje valem mais do que cem reais daqui a alguns anos.

Nós sabemos que o Brasil sofreu com a inflação durante o período pré-real, porém será que depois da implantação da nova moeda estamos seguros contra este mal? É lógico que não!

Vamos fazer uma pequena análise utilizando os dados encontrados no site www.portalbrasil.com.br. Neste local é possível encontrar o histórico do índice IPCA, utilizado para calcular a inflação mensal aqui no Brasil. Neste estudo, irei utilizar os dados de Agosto de 1994 a Março de 2014, um período de quase vinte anos.

Neste período temos grande oscilação na inflação, de apenas 1,66% em 1998 a 22,41% em 1995. Para ficar fácil a visualização dos valores, vamos imaginar que um trabalhador receba R$1.000,00 por mês, e que este valor fique congelado até hoje. Vamos supor também, que este trabalhador consiga comprar por R$1,00 um litro de leite e que o mesmo será reajustado de acordo com a inflação ao longo do período.

Em agosto de 1994 este trabalhador conseguirá comprar então 1.000 litros de leite. Porém, em Dezembro do mesmo ano será possível comprar apenas 901 litros. De Agosto a Dezembro de 1994 a inflação foi de 10,98%.

Então chega 1995, e Fernando Henrique Cardoso assume à Presidência da República do Brasil, mesmo ano em que o Yahoo! foi criado. No final do ano nosso amigo iria comprar somente 736 caixas de leite. Cada caixa sairia por R$1,35 e o poder de compra do trabalhador ficaria em R$736,14.

Chega 1996, e a morte de Carl Sagan e Tupac Shakur. Em 1997 temos uma queda dramática da bolsa de valores de Hong Kong. Em 1998 Fernando Henrique se reelege, e em 1999 temos o Euro sendo transicionado em onze países. O ano 2000 foi marcado por diversos "apocalipses" e Putin foi eleito presidente da Rússia. Neste ano nosso comprador de laticínios conseguirá adquirir apenas 544 caixas de leite, com o produto custando R$1,83, os R$1.000,00 agora valem apenas R$544,06.

No final de 2002, a caixa de leite custará mais que o dobro do valor, chegando a R$2,23. O poder de compra do assalariado que ganhava mil reais em 1994, será de apenas R$449,03. Em 2008 o valor do litro de leite custará três vezes mais que no período inicial, chegando a R$3,16 no final do ano. O poder de compra do trabalhador será de míseros R$316,61.

Depois de quase vinte anos, hoje os mil reais de 1994 conseguiriam comprar apenas 234 litros de leite, com o litro custando R$4,25, o poder de compra de R$1.000,00 chega a pouco menos de R$235,00.

Em vinte anos nós tivemos uma inflação acumulada de 325,63%. Por este motivo que temos que cuidar de nosso dinheiro e investir, para que consigamos ao menos suprir esta queda de valor.

Concluindo...
É necessário o aporte do dinheiro em investimentos que consigam ao menos ultrapassar o valor da inflação para que não tenhamos perdas de valores. Com isso, deixamos claro que, guardar dinheiro em baixo do colchão não é uma boa ideia devido a sua desvalorização no tempo. O investimento na poupança pode ser uma saída para evitar a desvalorização, apesar de ter uma boa rentabilidade. O que temos que ter em mente é que temos que investir, para que nosso dinheiro não perca o valor no tempo.

Uta!

sábado, 19 de abril de 2014

As péssimas desculpas para não investir ainda jovem

Escrito por with 6 comentários
Hoje vou deixar para vocês uma coletânea de desculpas esfarrapadas que encontro todos os dias em conversas aqui na universidade com alguns amigos, quando o assunto é investir o dinheiro. Vale lembrar que, a conversa não é somente sobre ações e empresas, mas sim outros tipos de investimentos como Tesouro Direto e outras modalidades que não sejam a poupança.

Quero deixar bem claro que não fico com raiva das pessoas por não quererem investir, isso é de cada um. Fico puto da vida porque elas partem do mesmo pressuposto: medo. Medo de algo que não conhecem ou conhecem através de pessoas que não tiveram uma boa experiência. Em algumas conversas percebo ainda que existem pessoas que querem investir mas assim não o fazem, por conta dos pressupostos que foram colocados a força em suas cabeças.

"Eu não tenho quantia suficiente para investir"

Essa é a primeira resposta que ouço quando o assunto o por que da pessoa não investir. Só que depois desta pergunta, emendo essa : "E quanto você acha que precisa para começar?". Aqui as respostas variam, normalmente ficam entre R$10.000,00 a R$100.000,00.

Vou contar com quanto comecei a investir. Iniciei meus investimentos em um CDB do meu banco. Juntei tudo o que tinha guardado e comecei com R$1.000,00. Depois de alguns meses retirei o dinheiro de lá e fiz o meu primeiro aporte na renda variável... O valor? R$1.200,00. Foi com esta quantia que comecei a investir. Essa desculpa é utilizada por pessoas que normalmente não sabem nada sobre investimentos.

Existem outros tipos de jovens que não só pensam que o valor é alto, mas também cogitam de começar a investir pegando dinheiro emprestado... Para esses faço uma pergunta muito mais simples: "E se você perder esse dinheiro? Ou ainda, quanto você espera ganhar por mês?". Aqui as respostas mais utilizadas são, respectivamente, "Se eu for investir, não perderei" e "entre 10% a 15% ao mês".

Iniciar os investimentos com um empréstimo e ainda pensando que podem domar o mercado é um excelente modo para acabar em dívidas e todo marcado de hematomas da sova que o mercado aplicará em você.

Por fim, quero dizer que as pessoas não sabem o quanto de dinheiro elas tem, pois gastam de maneira desenfreada. Hoje, com a internet, não ganha dinheiro extra quem não quer. O problema é que essas pessoas, quando recebem um valor a mais gastam comprando supérfluos.


"Eu não sei nada sobre investimentos, não sei por onde começar"

Falar isso hoje com a quantidade de informação na internet, é besteira. O problema maior ao meu ver não é saber nada sobre investimentos, mas sim escolher qual o investimento que você irá iniciar.
"Mas não sei nada sobre investimento em ações". Ok, existem outros tipos de investimentos, como CDBs, Tesouro Direto, LHs, Fundos de Investimentos, enfim... uma serie de opções. Ah, outro ponto interessante também é que você não precisa necessariamente começar em ações, ou melhor, não comece a investir em ações, comece primeiro em modalidades diferentes como a renda fixa por exemplo, quando estiver pensando em começar na bolsa de valores coloque em prática seus ensinamentos nos simuladores, depois sua ideia estiver consolidada, abra sua conta na corretora.
"Mas não gosto de finanças e economia". Tudo bem, para isso, você tem fundos de investimentos ou ainda os profissionais focados em investimentos, que apesar de não darem a certeza absoluta que você não perderá dinheiro, dão a certeza que não cometerão erros de principiantes.

"Eu não invisto porque conheço pessoas que já perderam dinheiro com isso"

Essa é clássica. Principalmente por aqueles que tiveram contatos com traders frustrados ou ainda com os Buy 'n Holders que investiram suas economias em ativos como OGXP3 e MILK11.
Você liga a televisão e vê todos os dias, pessoas sendo assassinadas a sangue frio no meio da rua em qualquer cidade brasileira. Como é que você tem coragem de sair de dentro de casa? Afinal, este mundo é perigoso, o bom é ficar preso dentro de casa não é?
Sair de casa hoje em dia é algo arriscado, assim como investir em ações. Se você andar mostrando dinheiro no meio da favela, muito provavelmente estará correndo um risco altíssimo, assim como se você investisse em empresas ruins. Comprar ativos de boas empresas é como andar na praia de Ipanema, apesar de ainda sim correr riscos, este é bem menor.
Esta falácia vem junto do medo de investir, do medo de perder dinheiro. Todos temos medo de correr riscos, porém temos que levar em conta que, nós sempre iremos errar, o que não podemos fazer é não aprender nada com isso e errar novamente. Tomar um soco no nariz e uma voadora a costela do mercado porque pensou que poderia ser mais esperto que ele é normal, tentar fazer isso diversas vezes é burrice.

"Investir é muito complicado"

Primeiro, você não precisa de graduação de finanças para investir, basta estudar por conta própria. Existem diversos livros de diversos autores, sem contar as apostilas e vídeos na internet muito bons, que possuem o tema para os iniciantes. Você só precisa ter vontade e um pouco de perseverança para estudar por conta e ir atrás das respostas das suas perguntas. Essa busca pelo conhecimento que é a alma do negócio. 
Muitos de nós, pequenos investidores, não somos formados em nada relacionado a finanças ou economia, nós aprendemos a partir de livros, apostilas, intuição e experiência. Se nós aprendemos assim, você também pode.
Outro ponto interessante, minhas estratégias sempre tentam ser simples para que todos possam utilizá-la. Esta abordagem mais simplista que faço tem como objetivo, despertar a vontade nas pessoas em ao menos pesquisar sobre o tema, analisar e encontrar falhas nela ou ainda tentar utilizar a estratégia como base para a criação de outra.

E ai? Qual a sua desculpa para não investir?

Uta!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

10 Erros financeiros dos jovens

Escrito por with 4 comentários
Mais uma vez uma postagem motivado pelas informações encontradas em diferentes blogs americanos. Acredito que a realidade deles também seja a nossa no quesito erros financeiros dos jovens. Eu com meus vinte e poucos anos me identifiquei com alguns, acredito que alguns dos erros você também irá se identificar.
Vamos então, ver os dez erros mais cometidos pelos jovens no quesito finanças pessoais.


1. Não compreensão do cartão de crédito


Muitos jovens não entendem o cartão de crédito e com isso acabam criando problemas que podem chegar ao longo prazo. Alguns ficam deslumbrados com os limites altos e vão comprando tudo no cartão, ou ainda, temos aqueles que compram coisas baratas, mas em demasia, fazendo com que o valor da fatura no final do mês venha absurdamente grande. O cartão de crédito deve ser utilizado com cuidado e com muita sabedoria para não ser um agente problemático na vida dos jovens. Deve-se entender que o dinheiro gasto no cartão de crédito na verdade não é da pessoa, mas sim do banco que está "emprestando" um valor para você possa comprar agora e pagar depois, por conta disso, a não quitação da fatura no final do mês ocasiona uma excelente bola de dívidas.

2.  Não utilizar os descontos

Contas para universitários em bancos, meia entrada em teatros, shows, estádios, cinemas, descontos em livros, etc. Há um universo de descontos não somente para os universitários, mas também para todos os jovens, porém é necessário pesquisá-los e pedi-los afinal, o gerente do banco não irá lhe dar uma conta universitária se você não pedir. No Canada existem algumas empresas que possuem programas para pessoas com menos de trinta anos, dando-lhes descontos em diversos produtos e serviços. Nos Estados Unidos existem descontos para intercambistas, e aqui no Brasil não é diferente, basta procurar os descontos e usufruir deles.

3.  Alugar/Hipotecar uma casa, pode ser um grande fardo

Se você escolher comprar ou alugar uma casa ainda jovem, você ficará com pouco dinheiro para fazer qualquer outra coisa, com isso você irá gastar mais tempo em casa ao invés de aproveitar um pouco da vida. Sem contar que, caso você tenha pendências com uma conta muito grande, as chances de se endividar no cartão de crédito ou em outras contas é muito alta. A ideia é muito simples, tente não fazer dívidas grandes que possam abocanhar boa parte do seu salário, assim você terá mais dinheiro na conta para se divertir ou investir.

4.  Não fazer um orçamento

Se você não senta e verifica o que restou depois de pagar as dívidas e despesas fixas, fica difícil contabilizar quanto você pode gastar com as demais coisas, como comida, baladas ou ainda o quanto irá poupar neste mês. O desconhecimento do quanto você tem na conta, pode te levar a gastar mais do que você pode, criando problemas com cartão de crédito ou empréstimos. Um orçamento mensal pode facilmente lhe dizer quanto você tem que juntar para viajar, curtir com os amigos, ou ainda, quantas vezes você terá que almoçar e jantar miojo para poupar o que gastou a mais.

5.  Não ter um colchão de segurança

Ninguém sabe quando acontecerá uma emergência como um carro quebrado, um dente quebrado, um furto do seu computador ou alguma doença que precisa de remédios caros. Ficar sem um colchão de segurança pode ser perigoso, visto que para todas estes imprevistos é necessários gastos não orçados. Um colchão de segurança pode te salvar a não ficar no vermelho. Juntando um pouco cada mês o seu colchão de segurança começará a ficar bem fofo, amortecendo as suas dívidas imprevistas.

6.  Não perceber como as "pequenas coisas" se somam

Um maço de cigarros por dia, um refrigerante com salgado na hora da pausa do trabalho ou ainda cem reais gastos naquele bar no final de semana podem facilmente somar milhares de reais por ano. Alterações simples nestes gastos podem ajudar a poupar dinheiro para o colchão de segurança ou ainda para investir. Quando digo alterações, não quero dizer que jovens não devem se dar a estes luxos, mas com algumas alterações como a compra de um suco ao invés de um refrigerante, ou ainda uma dose a menos no final de semana podem ajudar no final do mês.

7.  Taxas de caixa eletrônico 24 horas

O jovem vai a um bar perto de sua casa e descobre que não tem dinheiro e que o local não aceita cartão, então lá vai ele sacar dinheiro no caixa eletrônico 24 horas, e pronto, mais algumas taxas para pagar. Adicione mais alguns saques no mês e pronto, a pessoa acaba de pagar um almoço a mais no mês devido aos saques. Andar com uma onça na carteira (cinquenta reais) para casos como esses faz com que seja dispensável o uso do caixa e consequentemente de suas tarifas.

8.  Caindo na armadilha dos pagamentos automáticos

Você coloca para pagar automaticamente a mensalidade da academia, mas se esquece que ainda não foi paga e sai com seus amigos e gasta os últimos reais da sua conta, no dia seguinte a fatura é paga mas o valor na sua conta é menor do que da tarifa. Pronto, você acaba de pagar, além da taxa de pagamento automático, as diversas taxas por um empréstimo devido a sua conta não ter dinheiro suficiente.
Para evitar problemas como esses, basta você deixar alguns lembretes de e-mail, alertas no calendário do seu celular ou ainda postites na geladeira. Além de não ter problemas com empréstimos, poupará também as taxas de pagamentos automáticos.

9.  Abrir conta conjunta

Você está apaixonado e decide então abrir uma conta conjunta com sua namorada. Pronto, dano-se tudo. Abrir uma conta conjunta cedo demais pode trazer dores de cabeça não só financeiramente mas também no seu relacionamento. Apesar de ambos terem um emprego estável, a situação financeira de ambos pode mudar rapidamente, o que pode ocasionar gastos exorbitantes de um lado, sendo necessário o outro ajudar a cobrir o rombo. Contas conjuntas são uma excelente ideia para pessoas que já estão casadas e que compartilham do mesmo teto e contas para pagar.

10.  Não planejar o futuro

Você possui planos de viajar pelo mundo, ou construir sua casa, mas não fez nenhum planejamento de como chegará lá. A falta disso pode frustrar facilmente todas as expectativas dos jovens. Estipular metas para a compra da casa própria, ou para a aposentadoria, podem ajudar a pessoa a se programar para o futuro.

E ai ? Se identificaram com alguns dos erros financeiros ?

Uta!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Índice Estagiário de Ações [Abr/14]

Escrito por with 2 comentários
Segue a atualização do Índice Estagiário de Abril de 2014.








O índice performou este mês +6,95%, em contraste, o Ibovespa fechou o mesmo período em +12,21%.


As ações que mais caíram no período foram:
Cia Hering [HGTX3] : -2,34% 
Lopes Brasil [LPSB3] : -1,10%
Grendene [GRND3] : -0,43%

As ações que mais se valorizaram foram:
Banco do Brasil [BBAS3] : +22,98%
Bematech [BEMA3] : +14,62%
Paraná Banco [PRBC3] : +12,63%

Proventos :


Uta!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Alugar ou Comprar um imóvel ?

Escrito por with 14 comentários
A atual sociedade brasileira tem na cabeça a seguinte frase pronta:
Estude, consiga um bom emprego, case, compre sua casa e se aposente.
Hoje vamos falar sobre a parte relacionada a aquisição da casa própria. Será que é melhor comprar uma casa ou viver em uma casa de aluguel?

Em um site de notícias financeiras canadense, li uma reportagem sobre este assunto. Nela, é informado sobre a alta dos preços nas grandes cidades e como as pessoas estão enfrentando hipotecas e financiamentos absurdos. Aqui no Brasil também estamos sofrendo com isso, mas de uma maneira um pouco mais perigosa através da nossa querida bolha imobiliária.

Hoje, o governo brasileiro está lançando diversas campanhas como o "Minha Casa, Minha Vida" para que qualquer pessoa, seja rico ou pobre, consiga comprar sua casa própria a juros baixos. O problema é que mesmo que os juros sejam baixos, o preço é alto e a qualidade deixa a desejar.

Aqui na minha cidade, um apartamento de dois quartos de 45m² da MRV chega a custar R$150.000,00. Olha o absurdo deste valor ? Isso sem contar a mensalidade do condomínio, os 50 apartamentos do seu bloco e os 10 blocos do seu condomínio. Ou seja, você paga valores absurdos por um local onde não tem nem 50m² e onde vivem mais umas 500 famílias. Não sei vocês, mas para mim, isso está longe de ser sinônimo de felicidade.

Apesar das altas dos preços dos imóveis, o valor dos alugueis não subiram na mesma proporção. Casas com 3 quartos, garagem para dois carros, em um ótimo bairro podem ser encontradas alugando por R$1.500,00.

Contudo, temos que analisar que em locações, o imóvel não é nosso, ou seja, o dono do mesmo pode querer ele de volta e você terá que arcar com uma dor de cabeça extra para encontrar um novo local para morar.

Outro ponto que deve ser analisado é, mobilidade. Vamos analisar por exemplo o meu caso. Tenho família aqui na minha cidade, minha namorada também é daqui, contudo, em nenhum momento estamos pensando em ficar presos a esta cidade, estado, e até mesmo no país. Nós iremos para onde conseguirmos melhores ofertas de trabalho ou qualidade de vida. Isso faz com que necessitemos de mobilidade de sair do local X para ir para outro local Y. Adquirir uma casa nestas circunstâncias é algo que trará dor de cabeça.

Ahhh... Mas ai você comprar uma casa, e se for mudar, vende ela.

O problema de se fazer isso é que, se precisar sair da cidade com urgência, terei que vender a casa a um preço mais baixo, podendo ficar no prejuízo, sem contar também toda a dor de cabeça de passar o imóvel para o nome do dono.

Agora, vamos imaginar um pai de família, que ele e a mulher possuem um trabalho mais fixo, e que desejam passar o resto da vida naquele lugar. Neste caso a aquisição de uma casa pode ser uma boa pedida. Com uma vida profissional mais definida e também com um valor investido, a aquisição pode ser feita a preços menores devido ao dinheiro já estar em mãos, dando assim o poder de barganha para o comprador.

Para concluir, acredito que a compra do imóvel deve ser feita após se obter uma ideia de fixação em algum lugar. Antes disso, alugar um imóvel pode ser uma boa pedida.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Como ganhar dinheiro ?

Escrito por with 11 comentários
Novamente estava lendo alguns blogs americanos e me deparei com uma história muito boa que irei contar aqui.
Quero deixar antes de tudo, que esta postagem de encontro a alguns grandes pensadores que muitos endeusam, por conta disso, quero que vocês tenham um pouco de mente aberta e tentem entender a essência da história.
Certo dia, depois de pesquisar muito sobre o mercado de ações, decidi investir meu suado dinheiro na renda variável, porém como não sou nada besta fui até um grande amigo que já era experiente neste mercado, para pedir alguns conselhos de como ganhar dinheiro no mercado de ações.

Abaixo segue a conversa que tivemos:

- Então John, me diga, o que você gostaria de saber sobre os investimentos na bolsa de valores ?
- Sinceramente, quero é ganhar dinheiro. Mas queria que você me desse algumas dicas, sabe como é, você tem experiência de anos nesta realidade, pode ajudar com alguma informação.
- Ok. Acho que eu posso lhe ajudar. Mas primeiro gostaria de pedir uma coisa. Me passe uma nota de cem dólares.
- Por quê ?
- Faz parte do aprendizado. Vamos lá, me passe a nota.
- Ok.
Eu passei a nota para Jimmy, que rasgou a nota.
- Ei! O que você está fazendo ?
- Me passe mais uma nota.
- Você não irá rasgá-la novamente né ?
- Me passe logo uma nota John.
Passei uma nota de vinte dólares, e novamente Jimmy a rasgou bem na minha frente.
- Jimmy, qual é o seu problema.
- Agora me passe mais uma nota.
- Eu não! Você vai rasgá-la novamente, eu é que não irei dar mais uma nota para você.
- Excelente. Você aprendeu a primeira regra da renda variável - disse Jimmy -. Qual é ?
- Nunca dê dinheiro para o seu amigo experiente na bolsa ?
- Não cabeçudo! Saiba perder dinheiro! Saiba o que faz você perder dinheiro, conheça sua mecânica, e entenda-a. Errar é humano, mas o mercado não perdoa. Se você souber o motivo pelo qual você perde dinheiro, conseguirá evoluir para se perder menos dinheiro, e se por ventura não conseguir aguentar os valores negativos... Caia fora! Você sempre, ouça bem SEMPRE irá perder em algum momento na renda variável, as vezes será muito, as vezes será pouco, mas você tem que estar ciente disso.
- Mas precisava rasgar meu dinheiro ?
- Lógico, a dor da perda será real, e não terá volta. Assim, você não fica com a ilusão que poderá ter seu dinheiro de volta.
Sinceramente, este foi o texto mais próximo do real que já li sobre o mercado de ações. Uma coisa que eu acho o cúmulo que é falado por Buffett é "Nunca perca dinheiro". Ora, se você não quer perder dinheiro, invista na poupança ou em CDB ou em renda fixa que não seja Tesouro Direto. Qualquer outra modalidade de investimentos você irá perder dinheiro, seja em qualquer momento, você irá perder e terá que aturar isso, ou então, saia da renda variável.

O investidor tem que aprender a perder dinheiro, e tem que ser dinheiro real. Nada de simulações, ele tem que perder aquele dinheiro que aportou um ou dois meses, tem que sentir o gosto amargo da perda e verificar se isso realmente é pra ele. O pequeno investidor tem que saber perder, não "nunca perder dinheiro". Tem que evoluir em conjunto com o mercado. Aquela estratégia que ele utilizava que levava ele a ficar com rentabilidade negativa, deve ser evoluída para que consiga obter rentabilidade positiva. O mercado de hoje não é igual ao mercado de décadas atrás, ele evolui e assim também devemos fazer, o problema é que sempre caímos nos mesmos erros.

Em resumo, é muito mais interessante saber perder do que nunca perder, pois quando sabemos perder, já temos uma noção de como será se acontecer novamente, e também teremos controle de nossas emoções em momentos em que todos estão perdendo a cabeça.

Uta!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Pagar, Guardar, Investir

Escrito por with 9 comentários
Parece que não, mas existem pessoas que não entendem muito bem estes três simples passos e a devida ordem.

Fiquei pesquisando estes últimos tempos e encontrei diversos debates onde o assunto era, investir ou pagar as dívidas com o dinheiro que sobra. Sinceramente não sei porque existem conversas como essas onde o principal leitor é o pequeno investidor. Essa conversa só vale a pena ser discutida quando estamos falando de outros patamares, como empresas ou instituições com dívidas milionárias e entrada de dinheiro no mesmo nível, e não para pessoas que tem família para cuidar ou que estão investindo o resto que sobra do suado salário.
Um casal que possua problemas de endividamento terá que pensar não somente nas dívidas mas também nos investimentos. Mesmo que ele consiga uma rentabilidade positiva, não há sanidade que aguente.

Primeiro de tudo... Pague suas contas

Primeiro passo... Pague suas dívidas. Com exceção daquele dinheiro que está guardado para um possível acidente, liquide o mais rápido que puder suas dívidas, sejam elas cartão de crédito, carro, financiamentos, carnês de lojas e até mesmo parcelas da casas própria.
Hoje, temos a programas como o Minha Casa Minha Vida, que possibilitam financiamentos com juros que variam de 7,5% a.a. a zero.
"Ah... Mas e agora Estagiário! Com juros zero até a poupança é melhor".
Se você se enquadrar no juros zero que é uma família que ganha salário bruto de R$1.600,00, vai por mim, você terá outros problemas, não passará por sua mente investir seu dinheiro.
Liquidar a dívida, ainda mais que for da casa própria é um excelente negócio, pois como muitas vezes o financiamento é de décadas, há o risco de haver algum problema no meio do caminho que possa fazer com que você perca seu imóvel, sendo assim... quitar a dívida o quanto antes é sempre bom.
Outro ponto muito importante é que menos dívidas geram menos dor de cabeça. Você ficará mais tranquilo, não terá tanto stress e assim poderá desfrutar mais da sua vida. Com as dívidas liquidadas nós iremos para o segundo passo...

Poupe, sempre que puder, sem excessos e constantemente

Outra coisa que vejo muito na internet são aquelas estatísticas de que, se você parar de tomar um café por dia, ou se você não comer um lanche no meio da tarde, você economizará tantos reais por mês. Com o perdão da palavra... Foda-se! Se você gosta de comer seu lanche, continue comendo, se você gosta de sair aos sábados, saia. Não deixe de viver só para juntar dinheiro, isso faz tanto mal quanto viver para gastar todo o seu dinheiro.
Junte aquele restinho que sobrou no mês, primeiramente. Faça o seu colchão de segurança, o tamanho varia de acordo com o nível de segurança desejado, normalmente em torno de três a seis salários é um valor interessante. Guarde na poupança mesmo e assim que terminar de colocar dinheiro lá, comece a passar para a próxima etapa, retirando do seu salário uma parte para você antes mesmo de gastá-la, com este dinheiro é que irá galgar o próximo degrau, que é...

Estudar, Investir, Estudar, Investir...

Com o extra que retirou para si, comece a estudar formas deste dinheiro começar a trabalhar por você, e quando falo isso não estou dizendo somente em ações. Comece com calma, primeiro veja o que seu banco oferece como investimentos em renda fixa, depois pesquise na internet outros métodos de investimentos e faça tudo com calma e sempre estudando e adquirindo conhecimento. Por fim, depois de alguns anos, é possível que inicie no mercado de ações e suas vertentes como o mercado de derivativos, podendo até, quem sabe, virar milionário.

O importante acima de tudo é sempre fazer estes três passos nesta ordem.
1. Pagar - Liquide suas contas de curto e longo prazo
2. Guardar - Crie um colchão de segurança, caso não tenha, aprenda a poupar e a pagar o seu dízimo a você
3. Investir - Com o dinheiro que sobrou, faça-o trabalhar para você, através de investimentos em renda fixa e se possível renda variável

E ai, concordam ou não ?

Uta!

domingo, 13 de abril de 2014

3 Características de portfólios de longo prazo

Escrito por with 36 comentários
Estava lendo esses dias alguns artigos em blogs americanos e encontrei alguns que mostravam informações sobre características de portfólios de longo prazo. Muitos deles tinham várias características mas três delas são unânimes em todos os artigos, por isso fiz uma compilação de todas elas e irei descrevê-las aqui embaixo.

1. Uma carteira de ações Buy & Hold é totalmente diversificada em classes de ativos, possui segurança contra crises não sistêmicas, tem limites de exposição a riscos, a ciclo econômico e a moeda

De acordo com os americanos, uma carteira no longo prazo deve ser bem diversificada de tudo quanto é maneira, não somente em ações, mas em fundos imobiliários, imóveis (diretamente), royalties, direitos autorais e tudo mais que for renda passiva e que não tenham correlação. Um exemplo aqui na terra do Tupiniquim seria investir em fundos imobiliários e em ações de construtoras. Apesar de uma construir e a outra alugar, uma crise no setor imobiliário iria causar a queda de ambos papéis criando assim um problema para o investidor, que terá os rendimentos diminuídos e não poderá aproveitar esta queda para investir o mais dinheiro.
O que os americanos deixam ciente é o seguinte, sua carteira deve aguentar uma queda como a da Grande Depressão. Para isso precisamos investir não somente em ações, mas também se possível em algum negócio como investidor (caso do nosso grande amigo Corey), além de imóveis, outros tipos de moeda e porque não em algum conteúdo de autoria própria, como livros por exemplo.
Uma boa diversificação lhe trará ótimos retornos em momentos de bonança e trará segurança em momentos de crises. Por exemplo, uma pessoa que tivesse um portfólio em ações que acompanhasse o índice Ibovespa e ao mesmo tempo exposto ao dólar, estaria protegidos de crises como as atuais, pois como a maior parte dos negócios feitos no Brasil são de players internacionais, quando o dinheiro sair do Brasil o dólar aumenta, o que faz com que você não tenha perdas muito grandes.

2. Uma carteira para longo prazo possui ativos que são menos oscilantes, ou seja, que não estão sujeitos a perturbações significativas do mercado.

Vamos imaginar duas empresas que representam este tipo de ativo e que são cotadas na bolsa de valores, a CRUZ3 e a ABEV3. Ambas possuem produtos que são consumidos pelo mundo inteiro. Se o ser humano fuma e bebe a mais de mil anos, com certeza irá beber e fumar daqui a cem anos, fazendo dessas duas empresas boas opções para termos em carteira. Indiferente do valor de suas cotações, elas possuem produtos com grande aceitação de mercado.
Basicamente existem dois grandes grupos onde empresas com estas características estão inseridas, bens de consumo corrente (como produtos de beleza e higiene pessoal) ou em marcas de bebidas, cigarros e alimentos embalados, pois sabemos que a humanidade sempre precisou e continuará precisando destes produtos.
Vale lembrar que, o fato da carteira ter empresas como essas não quer dizer que ela deva ter somente empresas com estas características, visto que a quantidade de ativos que se enquadram nestes dois grupos é muito limitado.

3. A carteira de investimentos a longo prazo deve ser comprada a preços racionais

Em 1920 muitos investidores compravam ações de empresas que estavam sendo cotados a 50 vezes o lucro, ou seja, estavam comprando ativos caros e que posteriormente caíram 90%. Outro momento foi em 2000 quando várias empresas de tecnologia da informação foram para as bolsas de valores e fizeram investidores comprarem papéis que estavam sendo cotados a 40 vezes o lucro por ação. 
É necessário avaliar o preço sim das cotas sim, pois existe diferença entre comprar ações com P/L de 5 e com P/L de 50.
Sou prova viva disso, pois comprei CRUZ3 quando estava com um P/L altíssimo e agora que está a um preço razoável, acumulo perdas de dois dígitos. O importante é que eu soube que errei e tomarei mais cuidado na próxima vez.

Em resumo, temos que sempre tentar encontrar boas maneira de se conseguir renda passiva, quando em renda variável, encontrar empresas boas e que estejam a um bom preço. Eu concordo e assino embaixo, e você ? Discorda de alguma das características ?

Uta!

sábado, 12 de abril de 2014

Índice Estagiário de FIIs [Mar/14]

Escrito por with 2 comentários
Fechamento do Índice Estagiário de FIIs de Março de 2014.


O índice performou +5,84% no período, enquanto o IFIX chegou a bater +5,07% .

Os papéis que mais caíram no período foram:
CTXT11: 2,14%
FLRP11B: 0,44%

Os papéis que mais subiram foram:
HGLG11: 16,08%
HCRI11B: 12,50%
FFCI11: 12,32%

Com relação aos rendimentos, o mês de obteve proventos de 0,81%. Abaixo segue as informações detalhadas:


Os ativos que menos representaram os proventos foram:
FLRP11B: 0,00
MAXR11B: 245,28
RBRD11: 262,80


Os papéis que mais presentaram os proventos foram:
HTMX11B: 541,80
BPFF11B: 511,73
HGLG11: 477,75

Uta!

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Índice Estagiário de FIIs [Fev/14]

Escrito por with Sem comentários
Fechamento do Índice Estagiário de FIIs de Fevereiro de 2014.


O índice performou -6,05% no período, enquanto o IFIX chegou a bater -5,23% .

Os papéis que mais caíram no período foram:
HTMX11B: 30,40%
FAED11B: 14,67%
FFCI11: 12,66%


Os papéis que mais subiram foram:
CTXT11: 6,17%

Com relação aos rendimentos, o mês de obteve proventos de 1,03%. Abaixo segue as informações detalhadas:


Os ativos que menos representaram os proventos foram:
FLRP11B: 0,00
RBRD11: 256,66
FFCI11: 297,08


Os papéis que mais presentaram os proventos foram:
MAXR11B: 1.243,62
HTMX11B: 829,04
BPFF11B: 511,73

Uta!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Índice Estagiário de FIIs [Jan/14]

Escrito por with 1 comentário
Fechamento do Índice Estagiário de FIIs de Janeiro de 2014.


O índice performou +0,42% no período, enquanto o IFIX chegou a bater -3,43% .

Os papéis que mais caíram no período foram:
EDGA11B: 9,95%
SPTW11: 6,94%
CTXT11: 6,38%


Os papéis que mais subiram foram:
BPFF11: 20,37%
FAED11: 17,19%
FFCI11: 3,27%

Com relação aos rendimentos, o mês de obteve proventos de 0,85%. Abaixo segue as informações detalhadas:


Os ativos que menos representaram os proventos foram:
FLRP11B: 0,00
MAXR11B: 256,59
RBRD11: 261,62


Os papéis que mais presentaram os proventos foram:
HTMX11B: 1.147,24
BPFF11B: 511,13
FAED11B: 440,67

Uta!

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Índice Estagiário de FIIs

Escrito por with 6 comentários
Depois desta análise setorial dos fundos de investimentos imobiliários, chegou a hora de conhecer o índice Estagiário de FIIs.


Como podemos verificar, nós temos 22 ativos, onde possuem participação de 4,50% a 4,56%. Os pontos iniciais do índice começarão em 995.736 pontos. O valor mostrado no IFIX na verdade é o índice FIXX11 que acompanha o índice IFIX.

Todos os meses serão mostrados quais são os ativos que apresentaram maiores variações e o valor dos rendimentos. Os rendimentos serão adicionados ao caixa e a priori não serão utilizados para reinvestimentos, pois no final do ano iremos utilizar esta informação para novas análises.

Os valores dos ativos são do dia 2 de janeiro de 2014. Serão feitas atualizações todos os meses após a saída do ranking do Tetzner, local onde foram pegos todas as informações.

Dúvidas e Perguntas, sintam-se a vontade em comentar.

Uta!

terça-feira, 8 de abril de 2014

Análise Dos FIIs - Hospitais

Escrito por with 2 comentários
Vamos analisar o setor de hospitais. As características deste setor são peculiares, normalmente o fundo possui apenas um grande imóvel com um inquilino e um contrato bem definido de valores e de tempo razoavelmente longo. Com isso, temos um risco mais baixo com uma rentabilidade interessante.



Os dados da média deste setor são :

QN/D : 6,00
P/L : 9,54
P/VP : 0,98
Média 12M :  0,78%
DY : 9,40%

O setor é composto por apenas 2 fundos, são eles:

  • HCRI11B
  • NSLU11B
Os dois fundos não apresentam renda mínima garantida. Possuem rendimentos mensais e ao menos um negócio diário, o que permite que sejam analisados sem problemas.

Analisando a Média 12M e o DY


Utilizaremos a média do setor para ambos os indicadores.
  • HCRI11B
  • NSLU11B
Ambos possuem um retorno médio de 0,78% e um DY de aproximadamente 9,4% também. Sendo assim nenhum dos dois ativos são barrados nesta primeira etapa.

Verificando o P/VP


  • HCRI11B
  • NSLU11B
Na análise do P/VP o ativo NSLU11B foi retirado da análise pois apresenta um P/L acima da média (1,06), fazendo com que o HCRI11B seja o único papel do setor.

Comparando o QN/D e o P/L


O QN/D do HCRI11B é inferior a média 6,00 (o papel apresenta o QN/D de 4). O P/L do ativo também é inferior a média o que mostra um possível desconto. Por conta da diferença entre negócios diários médios do setor e a quantidade de negócios diários do papel ser pequena em valores absolutos, o HCRI11B continuará na análise.

Resumo


Os FIIs HCRI11B foi o escolhido após a triagem. Ele será o representante do setor de hospitais.

Uta!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Análise Dos FIIs - Universidades

Escrito por with 5 comentários
Para finalizar a análise dos FIIs, vamos agora falar do setor de Universidades. Este setor tem como objetivo principal alugar imóveis para empresas que educação superior. Normalmente os contratos são longos e com valores bem definidos.



Os dados da média deste setor são :

QN/D : 5,00
P/L : 10,62
P/VP : 0,98
Média 12M :  0,74%
DY : 8,84%

O setor é composto por apenas 3 fundos, porém dois deles possuem renda mínima garantida, o que transforma o setor com um único FII, o FAED11B.
O fundo apresenta uma média de 0,74% de rendimentos mensais com um P/VP de 0,98. Seu P/L é de 10,62 um pouco alto se analisar outros setores porém não é um valor astronômico. Possui 5 negócios diários. Partindo deste principio, o FAED11B será o representante do setor de Universidades no índice.

Resumo


O FII FAED11B  foi o escolhido após a triagem. Ele será o representante do setor de universidades.

Uta!

domingo, 6 de abril de 2014

Análise Dos FIIs - Shopping

Escrito por with 2 comentários
Vamos analisar agora o setor de Shoppings. Este setor tem como objetivo principal a aquisição e aluguel de lojas que estão inseridas dentro de shoppings em todo o Brasil. Como características, os imóveis possuem mais segurança e um publico mais seleto, o que faz com que as lojas lucrem mais e assim podendo pagar mais pelo aluguel do imóvel.



Os dados da média deste setor são :

QN/D : 4,93
P/L : 18,92
P/VP : 1,08
Média 12M :  0,69%
DY : 8,25%

O setor é composto por 18 fundos onde alguns apresentam renda minima garantida ou não possuem liquidez ficando assim com apenas 15 fundos.

Analisando a Média 12M e o DY


Com a média de rendimentos mensais em 0,69% retiramos 7 fundos que apresentaram médias que variam de 0,02% a 0,56%. Deixando assim o setor com apenas 8 fundos para se analisar.

Verificando o P/VP


Utilizando-se o valor 1,00 como sendo o máximo permitido, retiramos mais um fundo de investimento, que possui um P/VP de 1,02. Ficamos assim com 7 fundos.

Comparando o QN/D e o P/L


Nesta análise iremos utilizar o valor mínimo de QN/D como sendo 4. Neste caso retiraremos da análise mais 3 fundos, ficando apenas com 4 ativos. São eles:

  • FLRP11B
  • FVPQ11
  • HGBS11
  • PQDP11
Eles faram parte do índice de FIIs.

Resumo


Os FIIs FLRP11B, FVPQ11, HGBS11 e PQDP11 foram os escolhidos após a triagem. Eles serão os representantes do setor de shoppings.

Uta!

sábado, 5 de abril de 2014

Análise Dos FIIs - Residencial

Escrito por with 1 comentário
O setor residencial não terá representante no índice de fundos imobiliários por conta de todos os ativos terem data limite para término, isso significa que eles possuem amortização e uma data de vencimento, o que não é interessante para a análise.

Por este motivo todos os 7 ativos não entraram na análise.

Uta!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Análise Dos FIIs - Papel

Escrito por with 4 comentários
Vamos analisar um setor diferente dos demais, o setor de FIIs de papeis. Este setor tem como principais ativos CRIs, LHs, e outros recebíveis imobiliários. Normalmente possuem algum indexador como IGP-M, IPCA, etc.. Por conta disso, temos uma grande vantagem de poder adquirir cotas de vários ativos como esses apenas aportando em alguns fundos imobiliários.



Os dados da média deste setor são :

QN/D : 48,18
P/L : 11,63
P/VP : 0,97
Média 12M :  0,72%
DY : 8,06%

O setor é composto por 14 fundos, porém existem alguns semestrais e outros sem liquidez que serão retirados da análise, deixando assim apenas 11 restantes, são eles:

  • BJRC11
  • FEXC11B
  • HGCR11
  • KNCR11
  • MXRF11
  • PLRI11
  • RBVO11
  • RNDP11
  • VRTA11
  • WMRB11B
  • XPGA11

Analisando a Média 12M e o DY


Utilizaremos a média do setor para ambos os indicadores.
  • BJRC11
  • FEXC11B
  • HGCR11
  • KNCR11
  • MXRF11
  • PLRI11
  • RBVO11
  • RNDP11
  • VRTA11
  • WMRB11B
  • XPGA11
Cinco ativos apresentam uma média abaixo da média do setor. A rentabilidade dos excluídos varia de 0,43% a 0,70%. Os demais ativos apresentam uma rentabilidade de 0,77% a 0,88%.

Verificando o P/VP


Vamos utilizar como valor de corte o P/VP acima de 1,00.
Neste caso teremos:
  • FEXC11B
  • HGCR11
  • PLRI11
  • RNDP11
  • VRTA11
  • XPGA11
Estes três ativos apresentam P/VP entre 1,10 e 1,12.

Comparando o QN/D e o P/L


  • FEXC11B
  • HGCR11
  • RNDP11
Os dois fundos HGCR11 e o RNDP11 são dois fundos que apresentam pouca liquidez, o QN/D dos ativos são respectivamente 7 e 4. Restando apenas o FEXC11B.

Resumo


O FII FEXC11B foi o escolhido após a triagem. Ele será o representante do setor de papel.

Uta!