Uma vez estagiário, sempre estagiário.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Realizar Lucro... Venda Especulação, Não Valor!

Escrito por with 6 comentários
Nas últimas semanas tivemos muitos blogueiros e comentários sobre o tema, realização de lucros. Vou abordar um pouco sobre a minha opinião sobre o assunto, bem como mostrar alguns argumentos que me fazem tecer esta pensamento.

Primeiramente irei comentar mais sobre a diferença sobre especulação e valor, mostrando como estas duas coisas são intrínsecas no preço de todos os ativos financeiros depois explicarei quando podemos encontrar o melhor momento para se vender um ativo para a realização do lucro.

Vamos iniciar falando sobre preço, valor e especulação. Preço é o quanto o ativo está sendo cotado em um determinado momento. Este preço pode ser decomposto em dois elementos, valor e especulação. O valor é o preço pelo qual acha-se justo pagar ou vender por um determinado ativo. O valor varia de pessoa para pessoa, de estratégia para estratégia. A especulação é o quanto se varia o preço de acordo com a força compradora e vendedora. A especulação pode ser positiva ou negativa, dependendo do atual momento do mercado.

Um exemplo prático para ficar mais fácil o entendimento:

Senhor Manoel possui uma padaria. Certo dia, o senhor Comprador passa na padaria e pergunta se o dono estaria interessado em vender seu negócio; este se interessa pela possibilidade da venda de sua "empresa" e diz que gostaria de fazer negócio com o Comprador. Na manhã seguinte, Senhor Manoel analisa o patrimônio da sua padaria e todo o trabalho duro que deu na sua pequena empresa e acredita que seu valor é de R$200.000,00. O Comprador liga para seu amigo o Analisador de Empresas e pede para o mesmo dar uma olhadinha na padaria do Senhor Manoel. O Analisador de Empresas verifica a padaria do português, utiliza-se de algumas fórmulas e chega no valor de R$190.000,00 como sendo o valor correto. O Comprador vendo o valor dado pelo seu amigo fica assustado, pois o mesmo só possui R$150.000,00 para comprar a padaria e acredita que este seria o valor correto do negócio.
Após alguns dias Senhor Manoel diz ao Comprador que espera receber R$220.000,00 pelo seu negócio, já o Comprador salienta que gostaria de comprar por apenas R$135.000,00, depois de muita discussão chegaram a um acordo, e realizaram a venda por R$175.000,00.

Podemos ver que no exemplo o Senhor Manoel, o Comprador e o Analisador de Empresas possuem diferentes cifras para o que se diz o valor correto da padaria. O Senhor Manoel acredita que sua padaria valha mais pois deu muito suor e sangue para deixá-la daquele tamanho, já o Comprador acreditava que o valor correto era aquele que ele tinha em caixa naquele momento, por sua vez o Analisador de Empresas, que é imparcial nesta história, fez alguns cálculos e encontrou um valor diferente dos demais. Isso demonstra que, o valor de um determinado ativo é diferente de pessoa pra pessoa.

O que podemos chamar de especulação foi o aumento de R$20.000,00 por parte do Senhor Manoel e a diminuição de R$20.000,00 pelo Comprador no valor considerado correto por ele. De nada tem haver estes valores com os fundamentos da empresa, apenas são cifras dadas para aumentar o benefício das duas pontas.

O preço seria a cifra de R$175.000,00 que seria o valor real da transação.

Com isso podemos dizer que:

Preço = Valor + Especulação

Onde o valor de um ativo é seu "preço justo" e a especulação são valores adicionados ou subtraídos que não possuem relação com os fundamentos da empresa, mas sim com forças compradoras e vendedoras.

Concluído esta linha de pensamento, vamos ao principal motivo da postagem, quando seria um bom momento de se vender ou comprar um ativo.

Vamos analisar novamente o exemplo:

Após a realização da compra podemos dizer que o Senhor Manoel vendeu valor, pois o preço da transação foi menor que o valor estipulado pelo mesmo. Já o Comprador, comprou especulação porque o valor encontrado por ele foi menor do que o valor da compra. Este é o pior cenário para ambos os lados, pois ninguém quer vender valor e comprar especulação, mas sim o inverso.

Se o Senhor Manoel quisesse vender por R$135.000,00 e o Comprador quisesse adquirir a empresa por R$220.000,00 então, no final da transação teríamos o melhor cenário, o comprador compra valor e especulação negativa, e o vendedor vende valor e especulação positiva.

Ou seja, quando falamos de compra de ativos, sempre devemos buscar comprar especulação negativa e quando vender, vender especulação positiva. Ora, mas porque o número encontrado para o valor não é alterado? Ele não é alterado porque estamos utilizando um período fixo e é ai que a brincadeira começa a se tornar complicada e se aproximar mais da realidade.

Vamos imaginar que o preço de um ativo está a R$15,00, porém na minha análise o valor do ativo é de R$13,00. Seria interessante eu comprar este ativo? Não, pois estaria comprando R$2,00 de especulação. Mas e se fosse para vender? Neste caso sim, pois você lucraria R$2,00 por conta da especulação. Agora, vamos imaginar que a empresa apresentou melhoras excelentes na produção e agora o seu preço está em R$17,00, porém devido as melhoras nos números, o valor do ativo para você agora é de R$20,00. Neste caso qual seria a melhor opção? A compra, logicamente, pois você estaria comprando especulação negativa, ou seja, estaria tendo um desconto no valor do ativo.

Isso significa que a falácia venda na alta, compre na baixa nem sempre é verdadeira. Para deixá-la correta devemos dizer, venda especulação, compre especulação negativa, pois nem sempre vender na alta quer dizer que você estaria vendendo especulação, muitas vezes, se a empresa for realmente boa, você estaria vendendo valor (ou especulação negativa).

Certo, mas qual é a regra que devemos seguir para a realização do lucro? Essa:

Se valor > preço, então, não venda. Compre
Se valor < preço, então, venda. Não Compre.

Agora, qual é a chave para resolver esta equação? Qual o valor! Por conta disso que sempre devemos ter uma cifra balizadora e nunca utilizar o preço do ativo como ele, afinal, se partimos deste pressuposto, a todo momento será hora de comprar e vender, ou nunca será hora de nada.

Para concluir, acredito que devemos sempre utilizar uma cifra balizadora para que possamos encontrar momentos oportunos no mercado para a venda ou compra de ativos. Esta cifra pode nos ajudar na realização do lucro e também a não perder dinheiro em momentos de venda de alta quando os fundamentos também estão em alta.

Uta!

6 comentários:

  1. Bom dia!Aí surge um problema,como definir essa cifra balizadora?Envolveria precificação?Respeito quem faz,mas nós que somos pequenos,e aqui concordo com alguns amigos da blogosfera,Melhor poupar e se dedicar ao trabalho e tentar poupar mais,a ter que ficar perdendo tempo com precificação.Alguns ativos poderia se usar o bom senso?Sem precificar criar uma faixa de,sei lá,se valorizar tantos %?Parabéns pelo post!
    Acionista25

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Acionista25,

      Precificar a ação todo mundo faz, só que alguns utilizam fórmulas e outros feelings. Por exemplo, você compraria BBAS3, hoje a R$60,00? E a R$90,00? Todo mundo tem um teto para compra, então isso já seria um método de precificação.

      Já tive este pensamento de que é perda de tempo tentar precificar ações, que somos pequenos investidores e por isso de nada vale fazer isso... Porém, utilizar fórmulas é apenas uma maneira de precificar. Se você olhar no homebroker a cotação da sua empresa e não concordar com ela, você está precificando-a também.

      O bom senso é algo que realmente todos precisamos ter, mas utilizar faixas de valores cai no problema de, e depois de um trimestre que soltarem os balanços da empresa? Se os fundamentos subirem qual será a nova faixa de preços?

      Uta!

      Excluir
  2. Fala, Estagiário!

    Achei interessante sua abordagem. Adicionaria que o valor é o que você provavelmente receberia "de verdade" em termos de fluxos ao longo do tempo.

    Seu critério:
    Se valor > preço, então, não venda. Compre
    Se valor < preço, então, venda. Não Compre.

    Ele é realmente o correto, qdo assumimos que o mercado não é eficiente!

    Quanto à precificação, é necessário fazer algum tipo.

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Dimarcinho,

      Realmente, o valor é o que realmente compramos, mas dizer essa frase seria um pouco complicado porque o que realmente compramos dá um tom que, existe apenas uma verdade, e não é realmente isso.

      O mercado não é eficiente, já que temos a especulação no meio de tudo, porém não podemos dizer que o mercado é puramente especulação, pois também estaríamos errados.

      Uta!

      Excluir
    2. Nós levamos o valor, mas pagamos o preço! hehe

      []s!

      Excluir
  3. Interessante ver essa ideia aplicada a pessoas

    ResponderExcluir