Uma vez estagiário, sempre estagiário.

domingo, 14 de setembro de 2014

Precificação de Empresas

Escrito por with 10 comentários
Já é conhecido pelos leitores sobre o que penso sobre precificação de ações. Sempre fui detentor da ideologia de olhar o todo (setores) e depois analisar algum indicador (P/L) para verificar qual empresa está mais atrativa no momento da compra. Ainda acredito que está é uma boa estratégia, contudo depois de muito discutir com alguns investidores experientes e ler em artigos e papers (infelizmente no momento não estou tendo muito tempo livre para ler livros na integra devido aos estudos aqui no Canadá), percebi que existem motivos plausíveis para se avaliar um preço ou bandas de preços que seriam interessantes para o investidor aportar. O principal deles é a "volatilidade" e a "especulação" que estão inerentes a qualquer momento quando se compra um ativo na bolsa de valores. Ora, se existem forças compradoras e vendedoras que forçam os preços para cima ou para baixo, muitas vezes posso estar comprando muita "especulação" e pouco "valor", ou o inverso, dependendo de como está o mercado no momento.

Este pensamento foi acentuado após ver os papéis do Banco do Brasil saltarem de R$18,43 para R$37,12 em menos de 6 meses, uma alta de 101,41% sem haver nenhuma mudança significativa nos fundamentos. Este foi o momento onde tive certeza da necessidade de se ter um valor ao menos base para se verificar se a empresa está ou não sub ou super valorizada. Por conta disso resolvi a partir de hoje fazer precificações nos ativos antes de adquiri-los.

Atenção. Em nenhum momento estou dizendo que aqueles que não olham o preço das ações estão errados. Cada um tem a sua ideologia e o melhor sempre será segui-la.

Primeiramente, devo agradecer a dois blogueiros que me ajudaram muito com suas postagens. São eles, Soul Surfer com suas postagens filosóficas e abstratas que são excelentes catalizadores de pensamentos e o (Di) Marcinho por seus textos técnicos, sempre muito bem embasados, e pela sua série sobre valuation que ajudou-me muito a entender e compreender os conceitos.

Os papers que li sobre o assunto infelizmente não poderei postar aqui pois todos foram lidos na biblioteca da universidade aqui no Canadá e eles não disponibilizam eles para o público aberto, somente para os estudantes, contudo deixo aqui uma coisa que me assusta um pouco, enquanto em universidades brasileiras o tema abrange no máximo cem pesquisas se forem englobadas todas as federais e estaduais do Brasil, aqui no Canadá, encontra-se mais de mais de duzentas pesquisas sobre o assunto somente aqui no campus.

Após os devidos agradecimentos, quero comentar agora sobre como irei fazer a precificação das empresas.

O Método

Irei utilizar a ideia de perpetuidade, onde:
Referência : Calculando o preço de uma ação (parte 5)
Onde:
LPAi = Lucro por ação no período “i”
r = taxa de desconto
g = crescimento no período de maturidade
n = ano do último período

E utilizarei como taxa de desconto a equação:
Referência : Calculando o preço de uma ação (Parte 7)
Onde:
r = taxa de desconto
Wpl = peso relativo do patrimônio líquido na estrutura de capital
r = rentabilidade esperada pelos acionistas
Wd = peso relativo da dívida na estrutura de capital
rd = juros de longo prazo da dívida

De acordo com o próprio Márcio, este cálculo é muito simplificado, porém é o que considero mais adequado no momento, pois para mim faz muito sentido e não é uma tabela pré-feita utilizando-se um mercado maduro como referência, coisa que a Bovespa está longe de ser.

O diferencial

Como de praxe, não gosto de utilizar métodos que apresentam valores pontuais, pois acredito que a margem para erros é muito grande, por conta disso, irei utilizar as funções para encontrar o valor pontual e após isso, utilizarei uma medida de dispersão estatística (desvio padrão) no LPA descontado a taxa de crescimento para criar uma banda máxima e mínima para a compra das ações.

Nas próximas postagens irei mostrar alguns valores de precificações.

Uta!

10 comentários:

  1. Valeria mais se desse um exemplo de alguma ação que esteja entre as 5 mais dos blogueiros.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Estagiário.
    Grato pela citação elogiosa.
    Eu creio que é assim que se precifica um ativo. Quanto mais incertas as variáveis, mais incerta é avaliação. Porém, isso não quer dizer que essas não são as variáveis para se analisar: fluxo de dinheiro, crescimento do fluxo de dinheiro e taxa de desconto.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Soul,
      Obrigado pelo comentário :)
      Vamos ver qual serão os resultados.

      Uta!

      Excluir
  3. Que tal ver um vídeo do Bastter e descobrir que "as cotações seguem os lucros"???? Mais simples que sonhar com fórmulas mágicas de riqueza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Explique os picos mencionados do BBAS3 e faça um paralelo com os lucros dos mesmos períodos, de acordo com o que o Bastter comenta nos vídeos.
      Precificar ações não é magica, e muito menos fórmula de riqueza, e sim balizador de preço :)

      Uta!

      Excluir
  4. É só usar as fórmulas e todo mundo vai ficar rico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você não entendeu muito bem as fórmulas, recomendo que leia-as novamente.
      Uta!

      Excluir
    2. dimarcinho fazendo escola.

      Excluir
    3. Não posso dizer que o dimarcinho não me ajudou a entender alguns conceitos, mas se for para colocar alguém que está fazendo escola, este alguém é Benjamin Ghaham, já que o dimarcinho apenas utiliza seus estudos.

      Uta!

      Excluir