Uma vez estagiário, sempre estagiário.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Geração Y: Aprenda a viver com o risco de mercado

Escrito por with 6 comentários
De acordo com o site The Globe And Mail, os jovens empregados da University of Western Ontario (Universidade do Oeste de Ontário) que possuem um plano de pensão, investem de maneira muito conservadora. Pesquisas apontaram que os que possuem menos de 25 anos estão com uma média de 58,8% de exposição no mercado acionário, enquanto os que possuem de 25 a 30 anos estão com seu patrimônio exposto em 60,4%.

Estes valores são muito baixos, demonstrando que a Geração Y tem uma certa aversão ao risco de mercado das bolsas de valores. Os investidores com menos de 30 e poucos anos podem ter mais de 90% do seu patrimônio exposto no mercado de ações para se beneficiar cada vez mais do retorno no longo prazo que o mercado acionário oferece.

De acordo com a pesquisa, a culpa disso tudo vem das duas mais recentes crises que tivemos, a das empresas .com na virada do milênio e a crise sub-prime de 2008. Isso ocasionou aos jovens investidores um certo medo ao investir seu dinheiro em ações.

Quem aqui não conhece a regra dos 80%?

80% - Sua Idade = Porcentagem em Ações

Ou seja, uma pessoa que possui 20 anos teria que ter no máximo 60% do seu patrimônio em ações. Está regra é a adaptação da regra dos 100% americana. O motivo da diminuição da porcentagem é por conta do nosso mercado de ações ser mais arriscado. Contudo, a pesquisa mostra que os jovens estão investindo menos do que a própria regra.

O problema é que ninguém percebe que este problema da Geração Y se dá por conta não somente de fatores financeiros como as crises mas também por conta de outros motivos inerentes a está geração em específico.

A algum tempo publiquei uma postagem com o título de Geração Y: Geração de fracassados mostrando como a minha geração tem muitas peculiaridades dentre elas, o quão frustrados somos devido a nossa alta expectativa principalmente quando o assunto é mercado de trabalho. 

Imaginamos que sairemos da faculdade e já de cara trabalharemos em um emprego que nos pagará R$10.000,00 por mês. Quando vemos que o mercado de trabalho não é assim, ou corremos para voltar a estudar para tentar entrar em um emprego público que paga um pouco melhor que o setor privado, ou nos contentamos com um salário mais baixo. Tanto um quanto outro está longe de ser o que imaginamos o que nos faz ficarmos frustrados. Com a frustração de ganhar menos do que imaginamos, vem o medo de perder este salário, o que nos torna cada vez mais avessos ao risco, criando assim jovens investidores conservadores.

Ora Estagiário, mas vemos cada vez mais jovens que estão entrando no mercado de ações, isso demonstra o contrário, não é? Não pode haver uma afirmação tão errada quanto essa.

Os jovens estão entrando cada vez mais no mercado de ações por apenas dois simples motivos: a) Fácil acesso a informação e; b) Ilusão. O primeiro motivo vem por conta da internet. Quanto mais jovem a pessoa é, mais conectada está. Como todos sabem, na internet encontramos tudo o que queremos e até o mesmo o que não queremos. Em menos de 10 minutos um leigo em investimentos pode digitar "Como ganhar mais dinheiro que a poupança" no Google e encontrar milhões de links que em sua grande maioria estará fazendo menções a ações. Uma vez mencionando a possibilidade de ganhar dinheiro com ações começa o segundo passo, a ilusão. Quem aqui nunca entrou em um site que dizia que um José da Silva ficou rico investindo em ações, comprando em baixa e vendendo em alta? Com milhares de links para estas páginas, o investidor wannabe (termo que é comumente utilizado pejorativamente para pessoas que ainda não são algo, mas querem ser) fica vislumbrado com a possibilidade de ficar milionário da noite para o dia. E assim entra no mercado de ações por conta do acesso a informação e pela ilusão.

Uma vez no mercado de ações, a ilusão de ganhar dinheiro fácil dará lugar a frustração, que por fim fará o jovem investidor sair no prejuízo depois de investir tudo em OGXP3 a R$10,00 porque leu em um fórum que ela ia bombar (mais uma vez por conta do acesso a informação e da ilusão). Ao sair da bolsa pro conta dos altos prejuízos, será um investidor (se continuar investindo) avesso à riscos.

Por isso senhores, deixo aqui uma mensagem aos membros da Geração Y: Aprendam a viver com o risco de mercado, aprendam a estudar e a fazer a coisa certa, não a agir por impulso e desistir.

Atualmente tenho menos de 5% do meu portfólio focado em Tesouro Direto, isso porque acredito que com meus vinte e poucos anos posso correr estes riscos. Sei que posso perder boa parte do meu dinheiro, como já venho amargando perdas de 20% em algumas ações que comprei, mas estas perdas são recentes em um horizonte de 35 anos. Tenho a plena certeza que estas perdas se tornarão em lucros crescentes com o passar dos anos.

Uta!

6 comentários:

  1. Olá estágio!
    Mas 58% em renda variável não é nada conservador, é arrojado.
    Com certeza a crise do sub-prime afastou muita gente da bolsa, mas SP500 tá batendo recordes atrás de recordes, quem não entrou deve estar se amargando, rs.
    Esta regra dos 80 é uma das besteiras que o povo inventa. Generalização total.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Uó,
      58% para uma pessoa que possui uns 40 anos pode ser arrojado, mas para quem está com seus 20 e poucos anos é considerado conservador pelos especialistas, por conta do tempo de investimento que eles possuem. Não podemos considerar que qualquer carteira com estas porcentagens com sendo arrojada, pois temos que levar em conta o tempo de investimento.
      :)

      Uta!

      Excluir
    2. Opa, eu discordo deste conceito, não penso que o percentual de alocação deva estar correlacionado à idade, por isso acho a regra dos 80% uma besteira. Espero na minha aposentadoria estar como hoje %05 ações, 25% FIIs, 25% renda fixa. E isto para só deve variar de acordom com o cenário, e não a idade, por exemplo, ações podem ir de 35% a 65%, FIIs pode ir de 15% a 35%, prefiro trabalhar com bandas, nada de regras pré-determinadas. Sendo assim, acima de 25% em renda variável para qualquer pessoa é ser arrojado, no meu conceito, independente da idade.
      Abraço!

      Excluir
    3. Interessante o seu conceito.
      A regra dos 80% é uma generalização, que na minha opinião é muito mal feita, mas concordo com a ideia de risco/idade. Acredito que quanto mais novos somos, mais riscos podemos aceitar, pois teremos mais tempo para nos recompor em caso de perdas, e em caso de ganhos, os juros compostos estão a favor.
      Dois conceitos diferentes, mas que acredito serem factíveis na realidade :)
      Uta!

      Excluir
  2. Ha e' com agah meu caro.

    Pasquale

    ResponderExcluir