Uma vez estagiário, sempre estagiário.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Métodos de Avaliação Econômica de Investimentos [Parte 04]

Escrito por with Sem comentários
Vamos chegando ao final do estudo de Métodos de Avaliação Econômica de Investimentos. Nesta última postagem vamos falar sobre os últimos dois métodos, o Payback Simples e o Payback Descontado.

Os dois Paybacks tem como objetivo principal mostrar em quanto tempo o investimento trará o valor que investimos. Como nossa análise é em cima do lucro líquido por ação, iremos encontrar qual o tempo necessário para que a empresa consiga gerar um lucro líquido igual ao valor investido. Isso não quer dizer necessariamente que iremos receber em dividendos este valor, já que parte do lucro é reinvestido na própria empresa. Porém, vale lembrar que o dinheiro investido corretamente na empresa irá aumentar o seu lucro e consequentemente o seu valor no mercado, portanto, a análise através do lucro líquido é lógica.

Vamos relembrar o Fluxo de Caixa dos dois ativos, PETR4 e GETI3.



Payback Simples

O Payback Simples é calculado a partir do fluxo de caixa acumulado. Ele tenta encontrar quando o fluxo de caixa acumulado chega a zero. Para saber se vale a pena ou não o investimento, o resultado deve ser comparado com o prazo máximo de recuperação aceitável, normalmente expresso por anos. Se o prazo encontrado é menor do que o prazo máximo, aceita-se o investimento, caso contrário, o projeto é inviável.

No Payback Simples, nós somamos todos os fluxos de caixa, indiferente do seu período. Este é o principal problema do método, pois este pressuposto vai totalmente contra a mão do pressuposto do fluxo de caixa, que diz: "Dinheiro, tem seu valor no tempo". Esta análise normalmente é feita de cabeça, pois é muito simples. Outro ponto muito importante no Payback Simples é que ele não considera o fato de que o maior rendimento está no final do período (como por exemplo, no caso da venda de uma ação).

Se analisarmos os dois ativos, encontraremos os seguintes valores :

PETR4 : 8,05 anos
GETI3 : 5,23 anos

Isso significa que, a Petrobrás só iria nos retorar lucros após a venda do papel. Ou seja, demoraríamos 8 anos para receber o valor investido. Vale lembrar também que, por estarmos utilizando o lucro líquido, isso não quer dizer que teremos os R$17,74 em mãos, já que teríamos que vender o ativo para conseguir ter o Payback. Já no caso da GETI3, temos um período bem menor, de apenas 5,23 anos. A partir deste resultado podemos concluir que PETR4 é um investimento menos atrativo do que GETI3.

Payback Descontado

O Payback descontado é muito semelhante ao método anterior, porém neste caso, nós iremos utilizar a TMA para descontar o fluxo de caixa. Todos os fluxos de caixa serão trazidos para a data zero, dai fazemos o somatório do fluxo descontado. Assim, podemos encontrar o valor que mostrará quando a empresa nos fornecerá em lucros o valor investido após o risco inerente ser descontado.

Só para relembrarmos as TMAs:

PETR4 : 22,5%
GETI3 : 20,14%

Utilizando os pressupostos encontramos os seguintes dados :

PETR4 : +9 anos
GETI3 : 8,73 anos

No Payback Descontado encontramos alguns valores que chegam a impressionar, de maneira negativa. No caso da PETR4 não teríamos o resultado esperado no tempo analisado, pois após o período de 9 anos seriam necessários queimar mais R$ 9,93. No caso da GETI3, nós conseguiríamos o retorno somente vendendo o ativo.

O Payback Descontado utilizando-se como parâmetro a TMA e o lucro líquido é muito pouco utilizado, o mais comum uso deste método é a análise do fluxo de dividendos e JSCP e o desconto como sendo da inflação. Sinceramente, este último é realmente mais interessante ao investidor, contudo, vale a pena a análise do segundo, pois na minha opinião é interessante verificar se a empresa trará um lucro a ponto de conseguir abater o valor investido dado o seu risco.

É isso ai pessoal, espero que tenham gostado dos métodos que mostrei a vocês. Eles poderão ser de grande importância a todos na hora de analisarmos um investimento.

Referências bibliográficas:

Samanez, C. P. “Matemática Financeira Aplicações à Análise de Investimentos 3ª edição”. São Paulo: Pearson Prentice-Hall. 2002
Mathias, W. F. “Matemática Financeira com + de 600 exercícios resolvidos e propostos”. São Paulo: Editora Atlas, 2002.
Varia, H. R. “Microeconômica Princípios Básicos”. Rio de Janeiro: Editora Campus,
2003.

0 comentários:

Postar um comentário