Uma vez estagiário, sempre estagiário.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Pagar, Guardar, Investir

Escrito por with 9 comentários
Parece que não, mas existem pessoas que não entendem muito bem estes três simples passos e a devida ordem.

Fiquei pesquisando estes últimos tempos e encontrei diversos debates onde o assunto era, investir ou pagar as dívidas com o dinheiro que sobra. Sinceramente não sei porque existem conversas como essas onde o principal leitor é o pequeno investidor. Essa conversa só vale a pena ser discutida quando estamos falando de outros patamares, como empresas ou instituições com dívidas milionárias e entrada de dinheiro no mesmo nível, e não para pessoas que tem família para cuidar ou que estão investindo o resto que sobra do suado salário.
Um casal que possua problemas de endividamento terá que pensar não somente nas dívidas mas também nos investimentos. Mesmo que ele consiga uma rentabilidade positiva, não há sanidade que aguente.

Primeiro de tudo... Pague suas contas

Primeiro passo... Pague suas dívidas. Com exceção daquele dinheiro que está guardado para um possível acidente, liquide o mais rápido que puder suas dívidas, sejam elas cartão de crédito, carro, financiamentos, carnês de lojas e até mesmo parcelas da casas própria.
Hoje, temos a programas como o Minha Casa Minha Vida, que possibilitam financiamentos com juros que variam de 7,5% a.a. a zero.
"Ah... Mas e agora Estagiário! Com juros zero até a poupança é melhor".
Se você se enquadrar no juros zero que é uma família que ganha salário bruto de R$1.600,00, vai por mim, você terá outros problemas, não passará por sua mente investir seu dinheiro.
Liquidar a dívida, ainda mais que for da casa própria é um excelente negócio, pois como muitas vezes o financiamento é de décadas, há o risco de haver algum problema no meio do caminho que possa fazer com que você perca seu imóvel, sendo assim... quitar a dívida o quanto antes é sempre bom.
Outro ponto muito importante é que menos dívidas geram menos dor de cabeça. Você ficará mais tranquilo, não terá tanto stress e assim poderá desfrutar mais da sua vida. Com as dívidas liquidadas nós iremos para o segundo passo...

Poupe, sempre que puder, sem excessos e constantemente

Outra coisa que vejo muito na internet são aquelas estatísticas de que, se você parar de tomar um café por dia, ou se você não comer um lanche no meio da tarde, você economizará tantos reais por mês. Com o perdão da palavra... Foda-se! Se você gosta de comer seu lanche, continue comendo, se você gosta de sair aos sábados, saia. Não deixe de viver só para juntar dinheiro, isso faz tanto mal quanto viver para gastar todo o seu dinheiro.
Junte aquele restinho que sobrou no mês, primeiramente. Faça o seu colchão de segurança, o tamanho varia de acordo com o nível de segurança desejado, normalmente em torno de três a seis salários é um valor interessante. Guarde na poupança mesmo e assim que terminar de colocar dinheiro lá, comece a passar para a próxima etapa, retirando do seu salário uma parte para você antes mesmo de gastá-la, com este dinheiro é que irá galgar o próximo degrau, que é...

Estudar, Investir, Estudar, Investir...

Com o extra que retirou para si, comece a estudar formas deste dinheiro começar a trabalhar por você, e quando falo isso não estou dizendo somente em ações. Comece com calma, primeiro veja o que seu banco oferece como investimentos em renda fixa, depois pesquise na internet outros métodos de investimentos e faça tudo com calma e sempre estudando e adquirindo conhecimento. Por fim, depois de alguns anos, é possível que inicie no mercado de ações e suas vertentes como o mercado de derivativos, podendo até, quem sabe, virar milionário.

O importante acima de tudo é sempre fazer estes três passos nesta ordem.
1. Pagar - Liquide suas contas de curto e longo prazo
2. Guardar - Crie um colchão de segurança, caso não tenha, aprenda a poupar e a pagar o seu dízimo a você
3. Investir - Com o dinheiro que sobrou, faça-o trabalhar para você, através de investimentos em renda fixa e se possível renda variável

E ai, concordam ou não ?

Uta!

9 comentários:

  1. Com certeza! É quase uma receita de bolo mas 99% da população tem dificuldade pra entender isso. E mesmo os que entendem as vezes radicalizam com coisas como poupe 80% do seu salário (e seja miseralvelmente infeliz).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá $$$,
      O problema não é 99% da população que tem dificuldade. O problema são os investidores que ainda teimam em falar para as pessoas pularem etapas. Poxa, se você tem uma dívida, pra que você vai investir ? Paga logo ela, fique livre dessa obrigação.
      A população em geral infelizmente tem a mesma mentalidade que os americanos, é consumista. Ao invés de poupar, acham que o salário foi feito para ser zerado. O problema é que elas se veem reféns do governo quando aposentam, e ai depois, ficam reclamando que o governo é isso ou o governo é aquilo.

      Uta!

      Excluir
  2. cara, como voce disse, se gosta disso ou daquilo etc. beleza. faço assim, e não quero dizer com isso q to certo:

    1) não paguei minhas dividas, ja que se fizesse isso, não teria o que tenho hoje. foda-se as dividas. tentem receber. pago quem conseguir me convencer a pagar. ex. A receita federal conseguiu =)

    2) de todo dinheiro que recebo, ja tiro o "dizimo" que vai pra corretora. Algo entre 10 e 100% (tem uns variaveis que minha mulher nem sonha).

    3) do dinheiro que sobra, pago as contas de casa (tento manter tudo bem baixo) e do que sobra, gasto um pouco com a patroa (não tenho frescuras, meu amor é a caixa registradora mesmo...) e um pouco comigo (munições pra atirar é o meu gasto maior).

    4) se sobrar alguma moeda dessa grana do item 3, guardo com as moedinhas do dia a dia e aplico na carteira do casal.

    tem funcionado legal, tenho pago o que tenho consumido, não faço mais dividas e tenho grana investida (menos do que gostaria, mais do que teria ouvindo conselhos convencionais).

    abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor,

      É basicamente a mesma coisa que eu disse na postagem, com um pequeno detalhe que, você só paga se as pessoas convencerem você a pagar. Você já deve ter um colchão de segurança caso de algum problema, então o guardar já deve ter feito pulando assim para o investir.
      Este passo a passo seu também não está longe do PGI (pagar, guardar, investir). :)

      Este seu modo também é interessante :)

      Uta!

      Excluir
  3. Olá Estagiário.

    Só não concordo na questão do financiamento imobiliário.
    Prefiro não adiantar o pagamento. Veja as razões:

    - O juros do financiamento que possuo é menor do que o juros do tesouro direto, já considerando o custo efetivo total e o rendimento líquido do tesouro direto.

    - Como sou assalariado CLT, prefiro usar o fgts para ajudar a pagar o financiamento.
    Se resolvesse adiantar o pagamento com dinheiro sem ser do FGTS, os anos futuros o dinheiro do FGTS ficaria rendendo apenas 3% ao ano. Estaria perdendo dinheiro com a inflação.Imagine se vc tiver que ficar os próximos 15, 20 anos com dinheiro no FGTS parado.

    - Pelo pouco que sei, é muito difícil perder a casa própria por atraso de financiamento. Ainda mais se for a sua única moradia.

    Citei o que é melhor matematicamente. Psicologicamente, para alguns, não ter dívida é melhor. Mas aprendizes de investidores como eu e vc e muitos outros, devemos tentar lidar e aprimorar a questão emocional.

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José,

      Sim, o motivo maior pelo qual digo liquidar a dívida primeiro é o psicológico. Se você tem uma dívida a menos, excelente, isso significa que você pode ficar mais tranquilo.

      O problema é que existem pessoas que não tem preparação psicológica para ter dívidas e investimentos, ou ainda, não percebem que é melhor pagar uma dívida do que ficar rendendo para ganhar míseros R$10,00.

      Uta!

      Excluir
  4. Olá estagiário!

    Incrível como as pessoas do meu ciclo social, e acredito que da maioria aqui, não tem nenhuma noção do que fazem com o dinheiro que ganham. Os que ganham menos do que eu, sobrevivem. E os que ganham mais, estão sempre com dívidas. Tenho a sorte de ter tido educação financeira em casa.

    "Foda-se! Se você gosta de comer seu lanche, continue comendo, se você gosta de sair aos sábados, saia. Não deixe de viver só para juntar dinheiro, isso faz tanto mal quanto viver para gastar todo o seu dinheiro."

    Concordo plenamente, entendo que "de grão em grão a galinha enche o papo", mas deixar de viver ou fazer o que gosta é demais. Eu mesmo já me arrependi de algumas coisas por conta da frugalidade extrema. Depois de trocar saúde por dinheiro, hoje prefiro equilibrar as coisas. Poupar e cortar gastos desnecessários, sim. Deixar de viver, nunca jamais!

    Depois dê uma olhada na minha carteira, sua opinião é bem-vinda! (:
    http://poetainvestidor.blogspot.com.br/

    Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poeta,

      Exatamente. Somos o 1% da nação que tem dinheiro na conta corrente e tem algum dinheiro investido.

      Aprendi que, você tem que gastar seu dinheiro para viver um pouco, fazer suas vontades. Por exemplo, sou fanático por jogos de computador. Ganhei uma grana extra e comprei uma placa de vídeo que ajudaria muito se eu tivesse investido, mas assim não o fiz. Preferi comprar algo que me satisfaça e que eu gosto do que investir 100% do meu dinheiro.

      Irei adicionar na blogroll e darei uma passada por lá.

      Uta! :)

      Excluir