Uma vez estagiário, sempre estagiário.

domingo, 12 de janeiro de 2014

Encontrando qual empresa aportar

Escrito por with 2 comentários
Pense rápido, em qual empresa da sua carteira você colocaria seu próximo aporte ? E agora responda... Por quê ?
Você compraria Banco do Brasil a R$20,00 ? E se o lucro caísse 50% no próximo trimestre, ainda sim compraria a R$20,00 ?

Encontrar boas empresas é algo relativamente simples, como vimos na série de análise setorial aqui no blog. O problema agora é encontrar qual a empresa está mais atrativa em um determinado momento.

O Dimarcinho mostrou como podemos precificar uma empresa na última postagem dele, que você pode conferir aqui. Através do valuation, podemos encontrar um valor balizador para compararmos com o valor de mercado e então inferir se aquela determinada ação está sendo cotada a um preço bom ou se está sobrevalorizada.

O problema de se utilizar o valuation é que muitas vezes, precisamos de valores de variáveis que para o pequeno investidor é sumariamente complicado definir, como a variável risco e a taxa de perpetuidade. Outro ponto negativo é sua complexidade, que faz com que seja de difícil assimilação para pessoas que não estão acostumadas com este tipo de análise.

Eu prezo a simplicidade das coisas, por isso prefiro utilizar uma outra estratégia para poder escolher qual a melhor empresa para comprar em um determinado momento. Para isso iremos utilizar apenas duas informações, Lucro Líquido Por Ação e Preço do Ação.

Lucro Líquido por Ação, porque basicamente é isso o que estamos procurando quando montamos a estratégia de longo prazo, e o Preço da Ação porque é de grande importância no momento da compra.

Para compreendermos melhor, vamos imaginar três ativos, AAAA3, BBBB4, CCCC11 com as seguintes informações:


Podemos ver que o lucro por ação se altera a cada três meses, isso é para ilustrar os resultados trimestrais das empresas. Também podemos analisar que tentamos sempre encontrar o valor do P/L e também a sua variação ante ao valor do mês anterior.

Certo, mas como vamos saber qual a melhor empresa em cada momento para nós investirmos ?
Nós só precisamos comprar a empresa que teve a maior variação negativa ou menor variação positiva em cada período. Simples não ?

Exemplo, vamos imaginar que vamos fazer três aportes, um em Janeiro, outro em Abril e último em Julho todos no ano de 2014. Percebemos que em Janeiro tivemos uma variação negativa de mais de 33% do P/L da ação CCCC11, pois ela teve uma alta expressiva dos seus lucros mas a cotação não subiu tanto a ponto de acompanhar o P/L, por isso ela estaria naquele momento com um certo desconto. Já e abril do mesmo ano, quem teve um aumento do lucro mas que o preço não acompanhou, foi a empresa AAAA3 que teve uma queda do P/L de 6,33%. Por fim em Julho de 2014 temos uma queda expressiva do P/L da ação BBBB4 que também teve uma alta dos lucros mas não da cotação.

O que quis retratar aqui, é que analisando os P/L nos momentos em que fazemos as nossas compras podemos encontrar entre duas ou mais empresas qual delas está com um desconto maior em suas ações.

Mas por que o P/L e não somente o preço da ação ? Imagine que a empresa irá fazer uma nova subscrição de ações, isso irá diluir o lucro por ação, e consequentemente fará com que a cotação caia dando a impressão que houve uma oportunidade de compra o que pode ser ou não verdade. O mesmo acontece com as junções e recompras de ações, que fazem o preço delas aumentar rapidamente mas que nem sempre significa perda de oportunidade.

O método é uma análise ad momentum, ou seja, não tenta prever o futuro da empresa, não tenta encontrar possíveis crescimentos ou preços justos da ação, simplesmente analisa um determinado momento se o preço da ação em relação ao lucro está maior ou menor ante a um valor passado, deixamos a precificação do ativo para o mercado, pois este é absoluto, ou seja, quem diz qual o valor da ação não é um ou dois investidores, mas sim a massa compradora e a massa vendedora, a única coisa que podemos realmente fazer é ou comprar, ou vender ou não fazer nada e esperar.

Uta!

2 comentários:

  1. 1) Como fica a questão para quem faz compras mensais ?

    2) Qual seria o termo para P/L e VPA em inglês ? Talvez no Yahoo Finance com um pouco de automatização poderia ser possível pegar os dados históricos de uma forma bem fácil. Imagine uma lista de 10 ativos...fazer o trabalho na mão acho que não dá né...então se puder automatizar, facilita bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Poney,
      A mesma coisa. O pequeno investidor pode comparar o P/L do dia em que comprou os ativos do mês passado, ou ainda se quiser fazer uma média do mês anterior para evitar possíveis divergências de um determinado dia, fica a critério do pequeno investidor.

      EPS = LPA
      P/E = P/L
      Com certeza facilitaria, mas acredito que trabalho mesmo não seria muito, basta você verificar em um site de confiança qual o LPA e verificar a cotação de todos os ativos no dia que for fazer a compra. Deixar estes valores gravados em uma planilha é útil pois evita retrabalho. :)

      Uta!

      Excluir