Uma vez estagiário, sempre estagiário.

domingo, 25 de novembro de 2012

Estudos setoriais das ações [Parte 04]

Escrito por with 21 comentários
Para quem não leu os outros posts da série, segue abaixo os links:


Depois de analisar o lucro das empresas, e relação entre o lucro e o preço, a importância que as empresas dão aos sócios minoritários, o quanto de retorno do lucro volta para o acionista, e outros demais fundamentos, vamos analisar o beta das ações, pois assim teremos uma ideia se as ações são agressivas ou se elas são defensivas.

Utilizei os pregões de 1 de janeiro de 2009 até o último pregão deste ano, do dia 23 de dezembro de 2012. Pela quantidade de dados que temos, o R² ficou baixo pra algumas empresas, caso queiram aumentar a confiabilidade diminuam a quantidade de dados mas lembrando que a probabilidade de se pegar uma época com chiado de mercado é muito grande.

Deixarei aqui os sites na qual me baseei para fazer a análise do beta.


O método utilizado foi o descrito no vídeo, utilizei a expressão log(pregãoAtual)-log(pregãoAnterior) para encontrar o retorno de um determinado ativo, depois utilizei o gráfico de dispersão do Microsoft Excel 2010 utilizando a curva de tendência e o R².

Vamos aos gráficos:




















Podemos ver que existem dois papéis que são da mesma empresa VALE3 e VALE5. No caso, seria por dois motivos. A empresa é ótima, que parece ter ótimos governadores e ter um crescimento constante do lucro. Sem contar também que a VALE5 tem opções que podem ser utilizadas para especulação no curto prazo e assim ganhar alguns trocados com a venda coberta de opções (sei que é meio arriscado, mas desta vez tenho conhecimento um pouco de conhecimento para saber o que é arriscado e o que é perder dinheiro).

Como terei 20 ações, decidi a priori colocar 5% em cada ação. Com isso o beta da carteira ficaria em 0,576. Uma carteira bem defensiva.

Para melhorar a rentabilidade da carteira estou estudando um pouco sobre como fazer hedge com mini índice bovespa quando eu conseguir ter um patrimônio próximo a 10 mil reais, mas isso será um tema para outro post.

Assim, a divisão do patrimônio baseado nos setores ficaria em:
-->
Bens Industriais: 15%
Construção e Transporte: 15%
Consumo Cíclico: 0%
Consumo não cíclico: 15%
Financeiro e outros: 20%
Materiais Básicos:10%
Petróleo Gás e Biocombustíveis: 0%
Tecnologia da Informação: 5%
Telecomunicações: 5%
Utilidade Pública: 15%

E ai ? Gostaram da análise ? Fariam de outro jeito ?
No próximo post falarei sobre como fazer um hedge utilizando-se os mini índices.

PS: Alguém conhece algum livro bom de análise técnica para leigos ?

Uta!

21 comentários:

  1. Rapaz,

    esse cálculo do beta é bastante controverso e tem vários estudos que mostram que é totalmente ineficaz, pois o beta vai mudando com o tempo e, assim sendo, vc teria q ficar rebalanceando sua carteira o tempo todo, o que não faria muito sentido.

    Damodaran recomenda um outro cálculo do beta, beeeeeeeeem mais complexo! rsrsrsrsrs

    Uma coisa que não entendo muito bem: se o beta é menor que 1,00, chamam de carteira defensiva, correto? Mas se o beta for menor que 1,00, isso não significa que, no longo prazo, a carteira iria render menos que o benchmark? Afinal de contas, pra cada ponto percentual que o IBOV subisse, a carteira subiria apenas um pouco menos, correto? Ou to falando merda? rsrsrsrs

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O beta logicamente muda conforme o tempo, por isso que eu busquei uma quantidade bem grande de dados, utilizando-se mais de 700 pregões. Mesmo que a ação desvie muito em uma semana, a quantidade de pregões utilizados ameniza a diferença entre o beta anterior e o novo beta.

      O rebalanceamento não seria necessário a todo momento, no máximo 4 vezes ao ano, no entanto, comprando ações e não necessariamente vendendo as que estão em carteira. Digo 4 vezes ao ano pois temos distúrbios maiores pós balanços trimestrais.

      O beta é algo muito controverso mesmo, mas vejo muitos investidores que utilizam o beta para o início, e depois que a carteira está montada, verificam a variação da mesma, e não mais de cada ativo. Depois de uns 200 pregões com uma carteira bem balanceada o beta começa a fazer algum sentido. Não postei aqui, mas se você analisar o beta da sua carteira atual em um período de uns 200 pregões no próximo pregão você irá verificar como a variação aproxima-se muito do beta encontrado.

      Diz-se carteira defensiva pois a variação dos papéis é menor do que do benchmark.
      Sua análise está correta, no entanto vale lembrar que você não tem lucro somente com a compra e venda de uma ação, logo você poderia muito bem ultrapassar o benchmark se contasse o retorno dos dividendos e JSCP.

      Veja um exemplo básico, verifique a cotação da tble3 por exemplo, ela tem um beta de 14%. Agora faça as contas de quanto uma pessoa iria ganhar se investisse mil reais nela e mil reais no ibov em um período de uns 3 anos. Você verá que o retorno da tble3 irá ser maior que a do ibov, isso se dá pelos dividendos e JSCP que a tble deu no período estudado. Nem sempre uma variação menor vem acompanhada de um retorno menor.

      Um jeito de se aumentar ainda mais a rentabilidade da carteira, é verificar quando temos uma queda acentuada e fazer um hedge da carteira, assim na queda diminuímos nossa perda e quando houver um bull no mercado retiramos o hedge e deixamos a carteira subir junto com a bovespa.

      Não sei se eu confundi mais você ou se resolvi sua dúvida. Hahahaha...
      Uta!

      Excluir
    2. Fala, Estagiário!

      Entendi sim!

      Mas essa parte do beta eu não acredito nela..... tipo, como cálculo superficial, pode até valer, mas acho que fazer o trabalho q vc fez nos últimos 3 posts (de avaliar os setores e tudo mais) dará um retorno muito maior do que calcular uma volatilidade do PASSADO. Você está investindo para o futuro. E o beta muda ao longo do tempo...

      Já li um artigo bem legal sobre isso, se eu achar novamente passo pra ti!

      A parte sobre hedge, vc pretenderia utilizar via AT ?

      []s!

      Excluir
    3. Sobre a relação de analisar os setores e analisar o beta, com certeza a análise setorial e empresarial dá muiiiitttttoooo mais retorno do que o beta. Ele é mais para complementar o estudo e utilizá-lo em outros tipos de análise.

      A frase que você disse no final: "Você está investindo para o futuro. E o beta muda ao longo do tempo...", acho que não entra neste caso, já que os balanços também são do passado, e as vezes refletem o futuro.

      Lógico, no caso dos balanços existe a pequena diferença de ser fundamentada na empresa e não no mercado, o que significa que será muito mais acertiva que o próprio beta, mas a frase também se encaixa concorda ?

      Vai ser de grande ajuda um artigo sobre o assunto.

      Sobre o hedge, sim e não. Utilizaria a análise técnica no presente momento para aprender, pois não gosto de ser xiita e ir só através de um tipo de análise. E caso eu consiga entender a análise técnica, e praticar, quem sabe eu não utilize para analisar os momentos de queda e assim abrir uma posição de hedge, mas isso é um futuro um pouco mais distante onde eu já tiver uma boa análise técnica, souber o que estou fazendo e ter convicção dos meus atos, coisa que hoje não tenho nem um pouco, a não ser a análise que estou fazendo agora, que eu acredito que estou acertando em uns 60~70% nela.

      ^^

      Você já fez AT dimarcinho? Ou conhece alguma coisa sobre?
      Melhor dizendo... o que acha da AT dando suporte para AF ?

      Uta!

      Excluir
  2. Caro Estagiário,

    Não sei qual o tamanho do seu patrimônio, mas posso supor, pelas informações do post, que é inferior a R$ 10 mil. Pelo apelido, imagino que vc deve ser novo e tb deve aportar pouco. Se puder, disponibilize essas informações.

    A quantidade de ações que cada um tem carteira é algo pessoal, mas de uma coisa não se pode fugir: os custos com corretagem e emolumentos. Estes custos tem um impacto muito alto em um patrimônio pequeno. Imagina comprar 20 ações no mês, com corretagem "barata" de R$ 10? Gastar R$ 200 num taxas é muita coisa, mesmo que faça isso 4 vezes ao ano.

    Por isso, sou a favor de uma alocação ao longo do tempo. Se vc só tem R$ 10 mil para começar, compre duas ações. Quem é novo, solteiro e sem filhos pode se expor bem mais ao risco. Com o tempo, vai aportando e comprando a cada R$ 5 mil poupados, sempre lotes inteiros de ações. Isso reduz muito seu custo de manutenção da carteira. E repense a quantidade de ações. Eu mesmo, que pretendo ter mais de R$ 1 milhão em RV, não devo passar de 12 ações. Mais do que isso, é para quem tem muita, mas muita grana.

    E sobre o hedge, esqueça que existe por enquanto. Buscar conhecimento e montar um setup no papel, tudo bem. Mas não tem como vc operar com um capital de R$ 10 mil, pois a margem requerida para um mini-contrato é de cerca de R$ 2 mil ou seja, 20% do seu capital. Um único stop já te causa um bom prejuízo, imagina levar 3 seguidos? Sugiro que vc estude o assunto, mas deixe para operar só após R$ 300 mil de patrimônio, no mínimo.

    É isso! Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Troll,

      Exatamente, meus aportes são bem baixos e meu patrimônio é menor que 10 mil reais.

      Sobre a compra de ações, seria mais ou menos o que você disse mesmo, não pretendo comprar 20 ações de uma vez, vou comprar um papel um mês, outro no próximo mês, construindo devagar o portfólio. Sobre o balanceamento será somente através de compras mensais, venda de ativos para balanceamento não estão nos meus planos, a não ser que eles estejam muito acima do valor esperado, ou se por algum motivo a empresa apresentar fundamentos ruins.

      A alocação ao longo do tempo é exatamente o que irei fazer, no entanto farei mesmo que no fracionário, pois se eu esperasse para comprar os ativos em lotes, compraria um a cada ano dependendo do ativo. Sobre a quantidade de empresas na carteira, acredito que até 20 ações é uma quantidade razoável, acima que disso já acredito ser muito difícil acompanhar o mercado.

      O hedge estou estudando no momento, não irei utilizá-lo no curto prazo, somente quando tiver um bom capital. Agora sobre operar com um capital de 10 mil, isso tem apesar de ser meio complicado, pois a margem do mini-contrato pode-se utilizar ações, acredito que a margem leva em consideração 80% do valor das ações, então se você tem por exemplo, 10 mil reais, você poderia dar de margem 8 mil com essas ações, no entanto, a margem para compensações diárias é necessário ter em conta, mas isso já é em torno de 10 a 20 % da margem o que gira em torno de 200 a 400 reais na conta. O assunto está sendo estudado, no entanto, irá ser utilizado somente mais para frente.

      Muito obrigado pelas dicas construtivas ^^

      UTa!

      Excluir
    2. Quanto ao hedge, o fato de vc não ter caixa e dar a carteira como margem só piora as coisas, pois, se vc for stopado, corre o risco de ter que vender ações para desfazer a posição. Mexer com índice futuro com um patrimônio de 10 mil só vai aumentar o risco e os custos, sem que o retorno seja satisfatório.

      Excluir
    3. Mas neste no caso você o índice teria que subir em torno de 1.000 pontos para corroer todo a margem de compensação diária. Neste caso eu colocaria o stop em 900 pontos, deste modo iria corroer no máximo os 400 reais de margem, correto ?

      A margem só é utilizada quando estamos vendidos próximo ao dia de virar pó não é, ou estou falando besteira ?

      UTA!

      Excluir
    4. Vc precisa de margem para operar tanto na compra quanto na venda de índice. Os valores são semelhantes.

      Existem várias estratégias para fazer hedge. Se vc vai stopar e, consequentemente, realizar lucro no financeiro, ou seja, sem usar AT, então imagine sempre como seu patrimônio vai reagir a 5 stopes seguidos. Levar mil reais de prejuízo, fora taxas, com patrimônio de 10 mil é um porradão.

      Pense na margem como o máximo que vc pode perder em uma operação. Se a corretora pedir R$ 2.400 de margem, compensa arriscar esse valor para proteger a carteira de uma queda que, sei lá, 3 meses de aporte irão repor?

      Vc está no início e está começando bem. Cuidado para não ir rápido demais. Agora, vc só tem que se preocupar com:

      1) Estudar e trabalhar: chegando ao topo da carreira, aumentam os aportes e isso faz uma diferença enorme no longo prazo.
      2) Poupar: pelo menos 20% do que se ganha deve ser investido.
      3) Usar camisinha: supondo sua heretossexualidade, engravidar uma vagaba é um desastre pra qualquer homem.

      Por enquanto, quanto menos vc olhar o HB melhor. Notícias, então, fuja delas. E não aceite operações sugeridas pela corretora.

      Um abraço!

      obs: que porra é essa de UTA??? rs

      Excluir
    5. Entendi, mas no caso por exemplo de criar um stop no máximo de margem de ajuste diário, que seria acredito algo em torno de 500 reais ? A margem em si não seria afetada pois eu sai do hedge ou não ?

      Mas sobre o hedge só estou analisando como seria, pois fiquei bastante interessado, mas sei que em patrimonios pequenos a coisa é outra história.

      Obrigado pela dica. Vagabundas não irei engravidar, minha namorada se encarrega de fuzilá-las antes, e com minha namorada, ambos tomamos cuidados.

      Hahahahah
      Uta=abraço

      Uta!

      Excluir
    6. O ajuste diario é difícil de calcular, pois depende da variação do índice. Existe uma fórmula aproximar o valor do ajuste. Se o índice variar 500 pontos, vc leva um ajuste, mas se ele varia 1500 pontos, o ajuste é bem maior.

      Outra grande vantagem de usar hedge na hora certa, com patrimônio razoável, é que vc pode usar métodos mais refinados do que o simples financeiro de sua conta. Quando vc opera dinheiro, a tendência é se apavorar e tomar decisões precipitadas. Por isso o controle de risco deve ser rigoroso. O que é importa é o método, e não quanto vc tá ganhando ou perdendo.

      Um abraço! (uta?)

      Excluir
  3. O que está abaixo é apenas uma opinião minha.
    Pra mim beta é pura besteira. O que torna a carteira defensiva ou não nada tem a ver com o beta, e sim a escolha de empresas com operações não cíclicas, com boa governança e com resultados cuja estimativa seja menos difícil de prever. O que tem a variação em relação ao iBov com isso? O iBov é apenas um índice criado por um grupo de pessoas que reunidas utilizaram alguns critérios (que muita gente contesta) e com isso sua composição é constantemente atualizada para que estes critérios sejam atendidos.
    Para bons investidores (sejam holders, traders, etc), a alta oscilação poderá ser benéfica.
    Nunca verifiquei beta e nunca senti qualquer necessidade de verificá-lo. Só verifico os fundamentos das empresas e faço algumas estimativas. Se varia muito ou pouco em relação ao iBov é irrelevante para mim que pretendo investir no longo prazo.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AdP,

      Tudo o que você disse tem fundamento. No entanto, a utilização do beta é interessante quando você utiliza mecanismos de comparação com o ibov, no caso por exemplo, a avaliação do beta para hedge é muito importante, pois você verifica qual é a variação em relação ao ibov e utiliza mini-indice para hedge, mas se o investidor não utiliza este tipo de análise, como você mesmo disse, de nada vale a avaliação do beta.

      Gostei muito do sua análise em relação ao beta, para investidores que não utilizam hedge realmente, não há a necessidade de se verificar.

      Uta!

      Excluir
    2. Fala, Estagiário!

      Mas é aí que está o ponto! Vc vai calcular um beta do passado! E ele muda muito pro futuro! Tu calcula hoje o beta de 0,57 e nas poucas operação de hedge que você faria, NADA garante q seguirá esta variação.

      Muito pelo contrário! É mais provável que seja bem diferente.

      Sugiro q faça um pequeno estudo. Pegue por exemplo, alguém que montou uma carteira em 2006, utilizando os dados de beta e correlação de 2000 até 2006.

      Aplique a técnica até hj... nunca fiz esse estudo, mas creio que vai dar tudo errado, mto provavelmente... hehee....

      []s!

      Excluir
    3. Olá Dimarcinho,

      Digamos assim... Você acredita através de n fatores que o ibovespa irá cair. Se o ibovespa cair, significa que em tese sua ações também cairão, a uma taxa que depende somente do mercado. Como você fica a cegas se depender do mercado, você utiliza o beta como sendo uma base para seus cálculos.

      Você utiliza ele como base para fazer o hedge. Basicamente é como olhar o balanço das empresas de 10 anos atrás e verificar que se eles estão bons ou não. Isso não quer dizer que a empresa continuará sendo, mas é uma boa base a se tomar para começar algo. Com o beta é semelhante, no entanto com uma taxa de acerto menor já que o tempo é diferente entre ambas as análises.

      A ideia que você deu dimarcinho não é ruim, vou ver se verifico este evento que você mensurou, no entanto, de um tempo mais recente, talvez entre 2009 a 2011 ou algo do tipo por ausência de informações passadas.

      Creio que não dará um grande retorno, mas que possivelmente irá dar um retorno um pouco melhor do que comprar e esquecer simplesmente, acredito que deva dar. Vou fazer o estudo para tirar a dúvida, visto que não encontrei também nenhuma literatura sobre.

      Uta!

      Excluir
    4. Fala, Estagiário!

      Eu entendi o que você quis dizer, apenas menciono que usar esse critério não é muito legal. Busque sobre isso na web e verá q tem n+1 estudos mostrando sua ineficiência.

      Citando um exemplo; tu calcula sua carteira com beta em 0,57. Daí vem um crash desses e o mercado desaba 40% e sua carteira vai junto com 30%; teoricamente deveria ter caído 22,8%, mas será mesmo que cairia só metade?

      Outra coisa, imaginando que a venda do mini-índice desse certo, vc teria q alavancar, pois como incide lucro de 15%, vc deveria alavancar em ~18%...

      E, além disso, nada garante q vá dá certo!! Tb precisa estudar AT! hehe

      []s!

      Excluir
  4. Oi Estagiário,
    As discussões com os outros blogueiros incluiram tudo q eu poderia dizerm rsrs
    Alias, excelentes comentarios! Tb não utilizo beta, acho besteira, gostei muito dos outros posts sobre analise de empresas, acredito q esse é o caminho ideal p montar uma boa carteira. Assim como o Troll tb considero 20 papeis muita coisa p um patrimonio abaixo de 300/500k e mesmo acima desses valores é necessário tempo p acompanhar tamtos papeis.
    ,
    Mas tenha ciencia de uma coisa, palpite todo mundo dará mas só vc vai encontrar seu caminho rsrsrs
    Vc está de parabens pelos estudos, pela qualidade dos ultimos posts dá p ver o quanto está se dedicando e evoluindo, acredito q evoluirá bem no futuro :)
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ostra,

      Obrigado pelos elogios! =P

      Sobre a quantidade de papéis eu não me senti muito desconfortável, no entanto, acho que é porque estou analisando ainda, quando eu começar a investir acredito que a conversa irá ser outra. Vamos ver ^^

      O beta é mais para o longo e tenebroso futuro, quando eu for começar a analisar a possibilidade de utilizar hedge ou coisas do tipo, acredito que no atual momento seja mais para fins de estudo mesmo.

      Como diria minha mãe, "se palpite fosse bom eu vendia, não dava!" Hahahahaha.

      Nem me fala, passei um longo tempo na frente do computador para levantar todos estes dados. Acho que estou indo no caminho certo.

      Tomara que eu consiga evoluir mesmo, pois apesar de me sentir mais seguro, sinto que estou deixando passar algo na análise.

      Dona Ostra, por acaso você não teria nenhum título ou autor de algum livro de análise técnica para recomendar ? Seria mais para conhecer outros tipos de análise e o que podem ajudar, ou atrapalhar e assim não utilizar.

      Uta!

      Excluir
    2. Ja leu esses:
      - How to trade in stocks - Jesse Livermore
      - Encyclopedia of charts - Bulkowsky
      ?
      Beijinhos

      Excluir
    3. Ahh e qq um do Nicholas Darvas tb ;)

      Excluir
    4. Também acho 20 papéis muita coisa. Olhe minha primeira postagem de fechamento do blog:
      http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2011/09/fevereiro-de-2011.html

      Eu tinha uns 5 papéis com 12k reais, e mesmo assim hoje olhando eu acho que foram muitos papéis para pouco capital. Agora tnho 10 papéis e não pretendo aumentar a quantidade deled.

      Sobre livro, quando eu era totalmente leigo no assunto, eu li um do Alexander Elder:

      http://compare.buscape.com.br/aprenda-a-operar-no-mercado-de-acoes-alexander-elder-853521898x.html#precos

      Com certeza tem outros livros melhores do que esse, mas para quem era um zero à esquerda no mercado de ações, este livro foi bom.

      Sua análise está muito boa, mas acho que beto é um indicador secundário (no meu íntimo nem isso ele é). Foque nos fundamentos das empresas. Margem de lucros, crescimento dos lucros, feeling, governança coorporativa, qualidade dos produtos, endividamento, P/L, etc.

      Abraços

      Excluir